Quaresma

A Quaresma é um período de quarenta dias de penitência e de combate espiritual.

Inicia-se na Quarta-feira de Cinzas, prolongando-se até a Quinta-feira Santa, antes da Missa na Ceia do Senhor. A penitência na alimentação prolonga-se até o Sábado Santo ou Grande Sábado, perfazendo exatos quarenta dias.

Trata-se de um tempo privilegiado de conversão, combate espiritual, jejum e escuta da Palavra de Deus.

Na Igreja Antiga, este era o tempo no qual os catecúmenos (adultos que se preparavam para o Batismo) recebiam os últimos retoques em sua formação para a vida cristã: eles deveriam entregar-se a uma catequese mais intensa e aos exercícios de oração e penitência. Pouco a pouco, toda a comunidade cristã – isto é, os já batizados em Cristo -, começou a participar também destes exercícios, tanto para unir-se aos catecúmenos, como para renovar em si a graça de seu próprio batismo e o fervor da vida cristã, preparando-se, assim, para a santa Páscoa.

Assim, surgiu a Quaresma: tempo no qual os cristãos, pela purificação e a oração, buscam renovar sua conversão para celebrarem na alegria espiritual a Santa Vigília de Páscoa, na madrugada do Domingo da Ressurreição, renovando suas promessas batismais e participando da Eucaristia pascal, entrando em comunhão com o Ressuscitado dentre os mortos, o Vencedor da Morte, o Cristo nosso Deus.

Qual o Sentido da Quaresma?

Dom Henrique Soares, Bispo de Palmares, nos explica de forma bem simples como podemos viver melhor este período e ainda nos fornece algumas dicas!

São as seguintes as práticas da Quaresma

A oração

Neste tempo os cristãos se dedicam mais à oração. Uma boa prática é rezar diariamente um salmo ou, para os mais generosos, rezar todo o saltério no decorrer dos quarenta dias. Pode-se, também, rezar a Via Sacra às sextas-feiras! Ainda é possível, além do terço costumeiro, rezar-se mais um terço, com os mistérios dolorosos.

A penitência

Todos os dias quaresmais (exceto os domingos!) são dias de penitência na alimentação. Aliás, esta é a prática que melhor caracteriza a Quaresma! Sem renúncia ao alimento, não há observância quaresmal.

Cada um deve escolher uma pequena prática penitencial para este tempo. Por exemplo: renunciar a um lanche diariamente, ou a uma sobremesa, etc…

Na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira Santa os cristãos jejuam: o jejum nos faz recordar que somos frágeis e que a vida que temos é um dom de Deus, que deve ser vivida em união com ele; também nos ensina a domar nossos instintos. Os mais generosos podem jejuar todas as sextas-feiras da Quaresma. Farão muitíssimo bem!

Recordemo-nos que às sextas-feiras os católicos não devem comer carne; e isto vale para o ano todo!

O jejum consiste numa só refeição completa; as outras duas não devem, juntas, chegar a uma refeição.

A abstinência de carne consiste em não comer carne de animais de sangue quente: mamíferos ou aves, de modo geral.

A esmola

Trata-se da caridade fraterna. Este tempo santo deve abrir nosso coração para os irmãos: esmola, capacidade de ajudar, visitar os doentes, aprender a escutar os outros, reconciliar-se com alguém de quem estamos afastados – eis algumas das coisas que se pode fazer neste sentido!

A leitura da Palavra de Deus

Este é um tempo de escuta mais atenta da Palavra santa: o homem não vive somente de pão, mas de toda Palavra saída da boca de Deus. Seria muitíssimo recomendável ler durante este tempo o Livro do Êxodo ou os Números, ou o Deuteronômio, ou o Profeta Jeremias ou Oséias ou, ainda, a Epístola aos Romanos.

A conversão

“Eis o tempo da conversão!”, diz-nos São Paulo. Que cada um veja um vício, um ponto fraco, que o afasta de Cristo, e procure lutar, combatê-lo nesta Quaresma! É o que a Tradição ascética de Igreja chama de “combate espiritual” e “luta contra os demônios”. Nossos demônios são nossos vícios, nossas más tendências, que precisam ser combatidas.

Os antigos davam o nome de sete demônios principais: a soberba, a avareza, a tristeza (hoje diz-se a inveja), a preguiça, a ira, a gula, a sensualidade. Estes demônios geram outros.

Na Quaresma, é necessário identificar aqueles que são mais fortes em nós e combatê-los!

Quanto à liturgia quaresmal

Este tempo sagrado é marcado por alguns sinais especiais nas celebrações da Igreja:

  • A cor da liturgia é o roxo – sinal de sobriedade, penitência e conversão;
  • Não se canta o Glória nas missas (exceto nas solenidades, quando houver);
  • Não se canta o aleluia que, sinal de alegria e júbilo, somente será cantado outra vez na Páscoa da Ressurreição;
  • Os cantos da Missa devem ter uma melodia simples e tratarem dos temas quaresmais; não é permitido que se toque nenhum instrumento musical, a não ser para sustentar o canto, em sinal de jejum dos nossos ouvidos, que devem ser mais atentos à Palavra de Deus;
  • Não é permitido usar flores nos altares, em sinal de despojamento e penitência (nos casamentos e outras festas as igrejas, devem ser enfeitadas com muita sobriedade!);
  • A partir da quinta semana da Quaresma podem-se cobrir de roxo ou branco as imagens, em sinal de jejum dos sentido, sobretudo dos olhos.

Panos roxos Quaresma

O importante é que todas estas práticas nos levem a uma preparação séria e empenhada para o essencial: a Páscoa!
As observâncias quaresmais não são atos folclóricos, mas instrumentos para nos fazer crescer no processo de conversão que nos leva ao conhecimento espiritual e ao amor de Cristo. Tenhamos em vista que o ponto alto do caminho quaresmal é a renovação das promessas batismais na Santa Vigília pascal e a celebração da Eucaristia de Páscoa nesta mesma Noite Santa, virada do sábado para o Domingo da Ressurreição.

Empenhemo-nos sincera e devidamente nas práticas quaresmais. Elas não são essenciais, mas são sinal concreto de que entramos de corpo e alma no caminho da conversão. Uma vida religiosa sem práticas concretas em comunidade, reguladas pela Igreja, é como um corpo sem vértebras: não se sustentará de pé e terminará por negar praticamente a realidade da Encarnação. O Verbo fez-Se carne, fez-Se matéria, “concretizou-Se”. O cristianismo é uma religião da alma e do corpo, das intenções e das práticas!

Ficha de Vivência Quaresmal

Preencha esta ficha até Domingo e ofereça-a espiritualmente ao Senhor na Vigília Pascal.
Faça o Download da Ficha de Vivência Quaresmal

Senhor Jesus Cristo, seguindo o Teu caminho no deserto e preparando-me para celebrar dignamente a Tua santa Páscoa, suplico Teu misericordioso auxílio para as seguintes práticas quaresmais que me proponho fazer em Tua honra e para melhor ser Teu discípulo:

Oração: (o que rezarei a mais durante este tempo, todos os dias)

Jejum/penitência: (o que retirarei diariamente, exceto aos domingos, da minha alimentação)

Esmola: (o que farei para ir ao encontro dos meus próximos, sobretudo praticando obras de misericórdia corporais e espirituais)

Vício a combater:
(quais das minhas más tendências combaterei nesta Quaresma, evitando as ocasiões, as situações e os atos)

Livro da Escritura a ler: (que livro lerei completamente, de preferência o Êxodo ou Números ou Deuteronômio ou a Epístola aos Romanos)

Leitura espiritual: (é recomendável também escolher um livro para leitura espiritual. Poderia ser o Mostra-me teu Rosto ou O Silêncio de Maria, de Inácio Larrañaga, A Leitura de Deus, de Garcia Columbás, A Imitação de Cristo, de Tomás de Kempis, O Peregrino Russo…)

A confissão sacramental

Dicas e Sugestões de Penitências

Neste tempo de reflexão e preparação para a Páscoa, muitos católicos ficam com dúvidas em relação às Penitências. Desta forma, apresento-lhe algumas sugestões feitas pelo Pe. José Eduardo para vivermos uma Santa Quaresma:

1) Penitências gastronômicas

– Trocar a carne por peixe, ovos ou queijo (ou mesmo comer puro)
– Comer menos arroz, feijão, pão, macarrão, para sair da mesa com um pouco de apetite
– Eliminar todos doces, refrigerantes, chocolate e demais guloseimas
– Nas refeições, acrescentar algo que seja desagradável, como diminuir a quantidade de sal ou colocar um condimento que quebre um pouco o sabor
– Comer algum legume ou verdura que não se goste muito
– Diminuir ou mesmo tirar as refeições intermediárias (como o lanche da tarde).
– Tomar café sem açúcar, ou água numa temperatura menos agradável
– Reservar algum dia para o jejum total ou parcial

2) Penitências corporais

Apenas para ajudarem a não perdermos o sentido do sacrifício ao longo do dia, a não sermos relaxados, devendo ser pequenas e discretas.

– Dormir sem travesseiro
– Sentar-se apenas em cadeiras duras
– Rezar alguma oração mais prolongada de joelhos
– Não usar elevadores ou escadas rolantes
– Trabalhar sem se encostar na cadeira
– Cuidar da postura corporal
– Descer um ponto antes do ônibus e fazer uma parte do caminho à pé
– Deixar de usar o carro e pegar um transporte coletivo

3) Penitências Morais

São as mais importantes

– Não reclamar das contrariedades do dia, mas agradecer e louvar a Deus
– Sorrir sempre, mesmo quando haja um nervoso
– Moderar a frequência às redes sociais, celular e computador (reduzir a poucas vezes ao dia)
– Desligar as notificações do celular
– Fazer os serviços mais incômodos na casa e no trabalho, ajudando os outros
– Acordar mais cedo para fazer oração
– Não ouvir música no carro
– Não assistir TV, mas dedicar este tempo à leitura
– Não usar jogos eletrônicos, caso seja viciado
– Fazer algum trabalho voluntário
– Rezar mais pelos outros, do que por si mesmo
– Reservar dinheiro para dar esmolas, mas sobretudo atenção aos mendigos
– Falar bem das pessoas que se gostaria de criticar
– Ouvir as pessoas incômodas sem as interromper
– Dormir no horário, mesmo sem vontade

Que todos possam ter uma intensa vivência quaresmal, para celebrarmos na alegria espiritual a santa Páscoa do Senhor!

(Texto compilados e escritos por Dom Henrique Soares da Costa, Bispo de Palmares e Pe. José Eduardo. Coletados no Facebook de ambos)

Recomendação de Leitura como forma de Retiro Quaresmal 2017

Prezados, para este ano, recomendo um piedoso livro de 1923, escrito pelo Abade D. Pinnard, trazendo-nos reflexões profundas sobre a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. E que, conforme os dias desta Quaresma, vou publicando seus capítulos. Trata-se do livro: As Chamas do Amor de Jesus.

Além disso, deixo aqui as Mensagens do Papa Francisco para a Quaresma:

Leia a Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma de 2017

Se desejar, também pode ler a Mensagem do Santo Padre para a Quaresma de 2016

Canto Gregoriano para Quaresma

Para ajudar ainda mais na sua interiorização, reflexão e intimidade para com Deus neste tempo de Quaresma, deixo esta belíssima obra elaborada pelos Monges Beneditinos do Mosteiro da Ressurreição.

Oração para bem viver a Quaresma

Recomendo esta belíssima e profunda oração do Beato Francisco Palau, Carmelita e sacerdote espanhol do século XIX, beatificado em 1988:

Senhor,
nesta Quaresma,
tempo de mergulhar no meu interior,
de revisão e de conversão,
ensina-me a descer sempre mais
até onde Tu te encontras: o meu coração.

Como “descer” até aí?
Pelo silêncio, encontrando tempo para rezar,
pela leitura da Tua Palavra que tanto me quer dizer,
pelos Sacramentos,
especialmente a Confissão e a Santa Missa.

Também pela aceitação das contrariedades,
o peso das circunstâncias e da monotonia da vida…
com os olhos postos em Ti.

Senhor, Tu que estás no meu íntimo,
ajuda-me nesta Quaresma,
a fazer uma viagem ao meu interior,
para aí me encontrar conTigo!