Tag: penitência (page 1 of 4)

O Sacramento da Penitência

Meditação para a Terça-feira da Primeira Semana da Quaresma. O Sacramento da Penitência

Meditação para a Terça-feira da Primeira Semana da Quaresma

SUMARIO

Como a fragilidade humana está tão exposta a sucumbir às tentações que a acometem, meditaremos no Sacramento da Penitência, que Nosso Senhor instituiu para nos perdoar os nossos pecados, e veremos:

1.° A excelência deste sacramento;

2.° A importância de bem o receber.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De agradecermos muitas vezes a Nosso Senhor, com piedosas aspirações, esta adorável instituição;

2.° De nos prepararmos melhor para as nossas confissões.

Conservaremos como ramalhete espiritual as mesmas palavras da instituição do Sacramento da Penitência:

“Aos que vós perdoardes os pecados, ser-lhes-ão eles perdoados, e aos que vós os retiverdes, ser-lhes-ão eles retidos” – Quorum remiseritis peccata, remittuntur eis; et quorum retinueritis, retenta sunt (Jo 20, 23)

Continue reading

Santidade do Tempo Quaresmal

Meditação para o Sábado depois das Cinzas. Santidade do Tempo Quaresmal

Meditação para o Sábado depois das Cinzas

SUMARIO

Meditaremos:

1.° A santidade do tempo quaresmal;

2.° Os meios de santificar este tempo.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De resguardarmos melhor o nosso coração e os nossos sentidos do pecado e da distração;

2.° De tratarmos durante este tempo da reforma do defeito que mais nos importa corrigir.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de São Paulo:

“Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora os dias de salvação” – Ecce nunc tempus acceptabile, ecce nunc dies salutis (2Cor 6, 2)

Continue reading

A Cinza, lição de Humildade

Meditação para a Quinta-feira da Quinquagésima. A Cinza, lição de Humildade

Meditação para a Quinta-feira da Quinquagésima

SUMARIO

Meditaremos:

1.° A lição de humildade que nos dá a Igreja com a cerimônia da Cinza;

2.° As razões porque a Igreja nos dá esta lição no princípio da Quaresma.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De nos conservarmos toda a Quaresma com um espírito humilhado e contrito à vista do nosso nada e dos nossos pecados;

2.° De aceitarmos de boa vontade a penitência da Quaresma, como muito inferior ao que merecemos.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra da Igreja:

“Lembra-te, ó homem, que és pó e em pó te hás de tornar” – Memento, homo, quia puivis es et in pulverem reverteris (Gn 3, 19)

Continue reading

Quarta-feira de Cinzas: Início do retiro quaresmal

Dom Henrique Soares da Costa

Hoje iniciamos o Santo Tempo da Quaresma. Como faço já há alguns anos, também neste 2019 oferecerei a você, caro Amigo, um itinerário para estes dias sagrados: neles, com a Palavra de Deus em mãos e o coração aberto ao Cristo Jesus, vamos caminhar para a santa celebração da Páscoa do Senhor.

Neste ano, meditaremos na Epístola de São Paulo aos Gálatas. Amanhã iniciaremos a sua leitura orante. Hoje, releia com atenção as leituras da Missa desta Quarta-feira de Cinzas.

1. Deixe-se tocar com toda a sinceridade do coração pelo apelo vivo, atual, a você dirigido pelo Senhor Deus:

“Voltai para Mim com todo o vosso coração!”

Não sei qual a sua situação neste início de Quaresma…
Não sei como está sua fé no Senhor, sua confiança na Sua santa presença na sua vida…
Não sei se você tem sido fiel ou infiel, generoso ou preguiçoso para com o Senhor…
Não sei se você tem vivido segundo o Cristo ou segundo o mundo…
Mas, agora, o importante é deixar-se tocar pelo apelo da Palavra do Senhor:

“Voltai para o Senhor, vosso Deus! Ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia!”

2. Coloque-se sinceramente diante do Senhor. Acolha com todo o seu coração o dom que Ele lhe faz de um tempo de salvação.
Eis a Palavra do Senhor para você:

“No momento favorável, Eu te ouvi e no dia da salvação, Eu te socorri!”

Procure levar muito a sério que este tempo quaresmal é um tempo favorável, um tempo de salvação! Que o seu olhar, nestes dias, dirija-se para Jesus nosso Senhor:

“Aquele que não cometeu pecado, Deus O fez pecado por nós, para que Nele nós nos tornemos justiça de Deus!”

Eis: não receba em vão tão grande dom, tão grande graça! Nesta Quaresma, busque o Senhor Jesus Cristo com todo o seu coração, com todo o seu amor, com toda confiança! Ele Se fez homem por você, por você Se entregou! Ele não brincou conosco! Amou-nos de verdade!

3. Finalmente, planeje bem suas observâncias quaresmais, sobretudo a oração, o jejum e a esmola. Mas, faça tudo isto não por fazer, não por simples observância exterior, não por pura tradição, mas procurando colocar seu coração e seu amor ao Senhor naquilo que fará.

4. E, agora, com o coração coberto de cinzas, reze hoje os sete salmos penitencias como expressão de humilde arrependimento seu e da Igreja e de vontade de fazer o caminho quaresmal; reze-os com um coração generoso para com o Senhor; reze-os com a insistência humilde de um pobre diante do seu Deus. Salmos 6, 31/32, 37/38, 50/51, 101/102, 129/130, 142/143.

Pensamento da Morte

 Meditação para a Quarta-feira de Cinzas. Pensamento da Morte

Meditação para a Quarta-feira de Cinzas

SUMARIO

Consideraremos que a cerimônia da Cinza nos convida a santificar a Quaresma:

1.° Com a penitência e mortificação;

2.° Com o pensamento da morte.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De abraçarmos de boa vontade as mortificações próprias deste santo tempo, o jejum e a abstinência, com todas as tribulações que a Providência nos enviar;

2.° De nos excitarmos a fazer bem todas as coisas conforme a palavra cie São Bernardo:

“Se tivesses de morrer hoje}, farias isto ou aquilo?” – Si modo moriturus esses an hoc vei illud faceres?

Continue reading

Ingratidão dos homens para com Nosso Senhor

Meditação para a Segunda-feira da Quinquagésima. Ingratidão dos homens para com Nosso Senhor

Meditação para a Segunda-feira da Quinquagésima

SUMARIO

Para entrarmos no espírito da Igreja, durante estes dias de adoração e de expiação, meditaremos:

1.° Quanto a ingratidão dos homens faz sobressair o amor de Nosso Senhor na Eucaristia;

2.° Que deveres nos resultam de tanto amor desconhecido.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos hoje uma visita de retratação ao Santíssimo Sacramento por todas as desordens do mundo, durante estes três dias de licença;

2.° De vivermos mais santamente hoje por espírito de reparação dessas desordens.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Davi:

“Eu vi as prevaricações do mundo e afligi-me” –  Vidi praevaricantes, et tabescebam (Sl 118, 158)

Continue reading

O Tempo do Carnaval

Meditação para o Domingo da Quinquagésima. O tempo do Carnaval

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas 18, 31-43

Tomando os Doze consigo, Jesus disse-lhes: «Olhai, subimos agora a Jerusalém e vai cumprir-se tudo o que foi escrito pelos profetas acerca do Filho do Homem: vai ser entregue aos gentios, vai ser escarnecido, maltratado e coberto de escarros; e, depois de o açoitarem, vão dar-lhe a morte. Mas, ao terceiro dia, ressuscitará.»

Eles, porém, nada disto entenderam. Aquela linguagem era incompreensível para eles, e não entendiam o que lhes dizia.

Quando se aproximavam de Jericó, estava um cego sentado a pedir esmola à beira do caminho. Ouvindo a multidão que passava, perguntou o que era aquilo. Disseram-lhe que era Jesus de Nazaré que ia a passar. Então, bradou: «Jesus, Filho de David, tem misericórdia de mim!» Os que iam à frente repreendiam-no, para que se calasse. Mas ele gritava cada vez mais: «Filho de David, tem misericórdia de mim!»

Jesus parou e mandou que lho trouxessem. Quando o cego se aproximou, perguntou-lhe: «Que queres que te faça?» Respondeu: «Senhor, que eu veja!» Jesus disse-lhe: «Vê. A tua fé te salvou.» Naquele mesmo instante, recobrou a vista e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, ao ver isto, deu louvores a Deus.

Continue reading

Fecundidade do Sofrimento

Meditação para o Dia 29 de Dezembro

O sofrimento é fecundo.

“O sofrimento – escreve a admirável Elizabeth Leseur (1) – o sofrimento atua de um modo impetuoso em nós, primeiro, por uma espécie de renovamento íntimo, em outros também, talvez muito longe e sem que saibamos neste mundo o trabalho que fazemos por eles. O sofrimento é um ato. Cristo fez mais na cruz pela humanidade do que falando e trabalhando na Galileia ou em Jerusalém. O sofrimento faz a vida: ele transforma tudo o que toca e tudo o que atinge”

Continue reading

É bom Sofrer para ser Bom

Meditação para o Dia 24 de Dezembro

“Quando se deseja saber o que vale uma alma – escreveu Lacordaire –, é mister tocá-la. E, se ela não dá o som do sacrifício, esteja ela coberta de púrpura, passai, passai! Não é uma alma!”

A dor é escola das almas, e não parece ter alma quem não sabe sofrer e se imolar. O sofrimento revela-nos as profundezas de nossa alma com toda a sua complexidade e mil delicadezas, e com isso nos revela também as profundezas de alma de nossos semelhantes. Saber sofrer é necessário, ao menos para se não fazer sofrer os outros. Continue reading

Vantagens da Paciência nas Enfermidades

Meditação para o Dia 16 de Dezembro

São tantas e tão consoladoras as vantagens da paciência nas enfermidades que impossível seria enumerá-las todas. Vejamos algumas.

“A paciência – diz o Pe. Lapuente (1) – coloca-nos no auge da vida cristã, porque ela, segundo o apóstolo São Tiago, é a que faz a obra perfeita e dela, como diz a Glosa, nasce a perfeição, à qual se chega pelos oito degraus das bem-aventuranças que Cristo Nosso Senhor pregou na Montanha. E, dessas bem-aventuranças, a última consiste na paciência”

A paciência é, pois, a pedra de toque para conhecer os graus da santidade, conforme o que diz o sábio:

“A doutrina do varão se conhece na paciência, porque, sabendo sofrer, descobre que tem a verdadeira sabedoria e conforma a vida com ela”

A paciência é o sinal certo do amor que temos a Deus. Torna-nos semelhantes a Jesus Cristo Nosso Senhor, cuja vida foi toda um exercício de paciência. Faz ainda mártires, porque não pequeno martírio é superior, sem queixas, blasfêmias e ira, tantas dores da enfermidade.

“A paciência – diz Santo Agostinho – vence todas as coisas adversas, não lutando,não sofrendo, não murmurando, mas dando graças a Deus por tudo!”

A paciência livra dos males eternos, alcança a coroa de glória, fecha a porta do inferno e abre a do Paraíso. É a doença uma boa escola de santidade, porque, sofrendo, exercita a alma na paciência e a paciência leva à perfeição do Amor.

Referências:

(1) La perfecion en las enfermedades – c. X. p. 142

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 375)

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑