Homilia para o 11º Domingo Comum

Dom Henrique Soares da Costa

Por Dom Henrique Soares da Costa

No Evangelho deste Domingo, o Senhor nosso Jesus Cristo fala-nos sobre o Reino de Deus que Ele mesmo veio inaugurar com Sua santa Encarnação, com Seu ministério público, com Sua Paixão, Morte e Ressurreição; Reino que Ele, efetivamente, nos deu com o dom do Seu Espírito Santo!

Observai, Irmãos, que sempre que fala do Reino, Jesus nosso Senhor usa imagens, fala-nos em parábolas. É que o Reino não pode ser descrito, não pode ser resumido num conceito; sequer esse Reino bendito pode ser totalmente compreendido por nós. Por isso o Evangelho fala em “mistério do Reino de Deus” (Mc 4,11)!

Continue reading

Trabalho

Capítulo 14. Trabalho - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
MUITO poucos, nos tempos que vão correndo, fazem aquela espécie de trabalho que gostariam de fazer. Em vez de escolherem, livremente, as suas ocupações, são forçados, por necessidade econômica, a dedicar-se a tarefas que não conseguem satisfazê-los. Dizem muitos: «eu deveria ocupar-me em alguma coisa de superior ao que estou agora a fazer», ou «este meu trabalho só é importante, porque mo pagam». Tal atitude está na base de tanto trabalho imperfeito e mal executado. O homem que escolhe o trabalho, porque este satisfaz a uma finalidade que se harmoniza com o seu modo de ser, é o único que se engrandece pelo trabalho. Verdadeiramente, só ele poderá dizer, quando chegar ao fim:

«Está acabado»

Continue reading

Achei a Minha Ovelha

Meditação para o Dia 17 de Junho

“Qual de vós o homem que tendo cem ovelhas, se perder uma delas, porventura não deixa as noventa e nove no deserto e não vai em busca da que tinha perdido até que a encontre? E quando a tiver encontrado a põe sobre os ombros, cheio de gosto, e, vindo para casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: congratulai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se tinha perdido?” (1)

Continue reading

A Filosofia do Prazer

Capítulo 13. A Filosofia do Prazer - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
TODOS nós queremos a felicidade. Mas, se somos sensatos, todos deveríamos nos convencer de que no prazer há três leis, que, uma vez seguidas, tornarão a consecução da felicidade incomensuravelmente mais fácil.

Primeira leiPodemos contar com horas felizes; mas a vida não se há de planear como se constasse somente de horas felizes. O prazer é como a beleza; é condicionado pelo contraste. A mulher que quer fazer sobressair um vestido de veludo preto, não irá colocar-se, se tem o sentido da realidade, em frente duma cortina preta, mas duma cortina branca. Continue reading

Vendo-o, o Samaritano moveu-se de Compaixão

Meditação para o Dia 16 de Junho

“Um homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de ladrões que o despojaram; e, depois de o haverem ferido, retiraram-se deixando-o semimorto.Sucedeu, porém que passasse pelo mesmo caminho um sacerdote, que, depois de o ver, passou adiante. Passou igualmente, de largo, depois de o ver, um levita, que se achava perto. Mas um samaritano, que seguia seu caminho chegou junto dele e, vendo-o moveu-se de compaixão” (1)

Continue reading

O Amor é Infinito

Capítulo 12. O Amor é Infinito - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
Há uma profunda diferença de qualidade entre os os bens possuídos, de que precisamos, usamos e realmente desfrutamos, e a acumulação de coisas inúteis, que amontoamos por vaidade, avidez ou desejo de ultrapassar os outros. A primeira espécie de posse é uma extensão legítima da personalidade: com o nosso amor enriquecemos um objeto que usamos muito, e ganhamos-lhe afeição. Podemos notar estas duas espécies de propriedade quando observamos as crianças: a que só possui um brinquedo, enriquece-o com o seu amor. A amimada com muitos brinquedos à sua disposição, rapidamente se enfastia e deixa de sentir prazer em qualquer deles. Continue reading

O Filho do Homem não veio para Perder as Almas

Meditação para o Dia 15 de Junho

“Enviou diante de Si mensageiros, que, caminhando, entraram numa cidade dos samaritanos para Lhe preparar pousada. E não O receberam, por ter aparência de que ia para Jerusalém. Vendo isto, Seus discípulos Tiago e João disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do Céu e os consuma? Porém, voltando-se para eles, repreendeu-os dizendo: Não sabeis de que espírito sois! O Filho do homem não veio para perder as almas, mas para salvá-las” (1)

Continue reading

Alegria Interior

Capítulo 11. Alegria Interior - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
CADA um de nós é que dá cambiantes sombrios ou luminosos ao que nos rodeia. Podemos, por um esforço criador, inundar a nossa alma de tal luz que torne esplendentes os acontecimentos que se cruzarem com o nosso caminho. Por outro lado, podemos cair num estado de depressão íntima tão profunda e tão cheia de melancolia que só os mais intensos impulsos externos dos sentidos serão capazes de nos despertar da apatia. Continue reading

Eu Sou o Bom Pastor

Meditação para o Dia 14 de Junho

“Eu sou o Bom Pastor. O bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas; porém, o mercenário, o que não é pastor, de quem as ovelhas não são próprias, quando vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge, e o lobo arrebata e dispersa as ovelhas. Mas o mercenário foge, porque é mercenário e não lhe importam as ovelhas. Eu sou o Bom Pastor e conheço as minhas ovelhas, e as minhas ovelhas me conhecem, assim como o Pai Me conhece e Eu conheço a Meu Pai, e Eu dou a Minha vida pelas minhas ovelhas” (1)

Continue reading

A necessidade de Revolução

Capítulo 10. A necessidade de Revolução - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
NIETZSCHE, filósofo do século XIX, tentou exprimir a índole da sua época, afirmando:

«Deus morreu»

E, com isto, quis dizer que, neste período, os homens iam perdendo a fé. Lançou também olhar profético para o futuro e predisse que o século XX seria de guerras e revoluções. Estas duas afirmações estão ligadas por lógica mais profunda do que o inventor da filosofia do «super-homem» imaginava. Na verdade, os homens que deixaram de amar a Deus, não amarão, por muito tempo, o próximo, e encontrarão particular dificuldade em procurar amar este próximo especial, que é o seu inimigo. Continue reading

« Older posts

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑