Autor: Gabriel (page 1 of 220)

Confiança na Providência

Meditação para o 6º Domingo depois do Pentecostes. Confiança na Providência

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos 8, 1-10

1Naqueles dias, havia outra vez uma grande multidão e não tinham que comer. Jesus chamou os discípulos e disse: 2«Tenho compaixão desta multidão. Há já três dias que permanecem junto de mim e não têm que comer. 3Se os mandar embora em jejum para suas casas, desfalecerão no caminho, e alguns vieram de longe.» 4Os discípulos responderam-lhe: «Como poderá alguém saciá-los de pão, aqui no deserto?» 5Mas Ele perguntou: «Quantos pães tendes?» Disseram: «Sete.»

6Ordenou que a multidão se sentasse no chão e, tomando os sete pães, deu graças, partiu-os e dava-os aos seus discípulos para eles os distribuírem à multidão. 7Havia também alguns peixinhos. Jesus abençoou-os e mandou que os distribuíssem igualmente. 8Comeram até ficarem satisfeitos, e houve sete cestos de sobras. 9Ora, eram cerca de quatro mil. Despediu-os 10e, subindo logo para o barco com os discípulos, foi para os lados de Dalmanuta.

Continue reading

Tender sempre a Viver Melhor

Meditação para o Quinto Sábado depois de Pentecostes. Tender sempre a Viver Melhor

Meditação para o Quinto Sábado depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos dois outros princípios da vida cristã: o primeiro é que, qualquer que seja o grau de virtude que tivermos alcançado, cumpre-nos sempre julgar que estamos muito longe do que deveríamos ter alcançado; o segundo é que deixar de progredir na virtude, é retroceder.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De diligenciarmos fazer cada uma das nossas ações com toda a perfeição, de que somos capazes;

2.º De examinarmos, depois de cada ação, os seus defeitos, e de repará-los, fazendo melhor a ação seguinte.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Apocalipse:

“Aquele que é justo, justifique-se ainda; e aquele que é santo, santifique-se ainda” – Qui justus est, justificetur adhuc; et sanctus sanctificetur adhuc (Ap 22, 11)

Continue reading

Excelência do desejo da Vida Perfeita

Meditação para a Quinta Sexta-feira depois de Pentecostes. Excelência do desejo da Vida Perfeita

Meditação para a Quinta Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Continuaremos a meditar sobre o desejo da vida perfeita, e veremos:

1.° Que este desejo é um indício de predestinação;

2.° Que cresce na alma à proporção que se progride na virtude.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De aspirarmos incessantemente a uma mais alta perfeição;

2.° De nos lembrarmos muitas vezes do modo como os santos amavam e serviam a Deus, de nos envergonharmos de estar tão longe deles, e de nos excitarmos a amar e a servir a Deus como eles.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“Bem-aventurado aquele que resolveu no seu coração subir de virtude em virtude” – Ascenciones in corde suo disposuit (Sl 83, 6)

Continue reading

Desejo da Vida Perfeita

Meditação para a Quinta Quinta-feira depois de Pentecostes. Desejo da Vida Perfeita

Meditação para a Quinta Quinta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Depois de termos meditado o que Deus fez por nós, desde a Sua Encarnação no seio de Maria até à Sua presença quotidiana nos nossos tabernáculos, meditaremos de ora em diante o que devemos fazer por Ele, isto é, a vida cristã a que somos obrigados para com Ele. Começaremos por meditar sucessivamente os seus princípios gerais. O primeiro princípio é que, para progredir na vida cristã ou vida perfeita, devemos desejá-la com ardor e constância. Procuraremos penetrar-nos bem deste princípio, considerando:

1.° Que é muito justo, que se deseje com ardor e constância a vida perfeita;

2.º Que este vivo desejo é o melhor meio de vir a ser perfeito.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De dizermos a Deus, todas as manhãs, quando acordarmos, e de repetirmos muitas vezes durante o dia esta aspiração, acompanhada de um grande desejo de sermos ouvidos:

Meu Deus, dignai-vos fazer, que eu tenha hoje uma vida verdadeiramente cristã!

2.° De nos vigiarmos a nós mesmos, todo o dia, para evitar tudo o que for contrário à perfeição da vida cristã.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“A minha alma desejou ansiosa em todo o tempo as vossas justificações” – Concupivit anima mea desiderare justificationes mea (Sl 117, 20)

Continue reading

Maneira de fazer as Visitas ao Santíssimo Sacramento

Meditação para a Quinta Quarta-feira depois de Pentecostes. Maneira de fazer as Visitas ao Santíssimo Sacramento

Meditação para a Quinta Quarta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos a maneira de fazer a visita ao Santíssimo Sacramento, e veremos, que é necessário:

1.° A devoção exterior;

2.° A devoção interior.

— Tomaremos depois a resolução de fazermos as nossas visitas com esta dúplice devoção; e o nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“Quão amáveis são os vossos tabernáculos, grande Deus!” – Quam dilecta tabernacula tua, Domine virtutum (Sl 83, 2)

Continue reading

Visitas ao Santíssimo Sacramento

Meditação para a Quinta Terça-feira depois de Pentecostes. Visitas ao Santíssimo Sacramento

Meditação para a Quinta Terça-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre a visita ao Santíssimo Sacramento, e veremos:

1.° Que esta vista é para nós um dever;

2.º Que os nossos mais preciosos interesses a isso nos convidam.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos cada dia uma visita ao Santíssimo Sacramento;

2.º De nunca passarmos por defronte de uma igreja sem nela entrar por alguns instantes, quando isso nos for possível.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Nosso Senhor:

“Estai certos de que eu estou convosco todos os dias até à consumação dos séculos” – Ecce ego vobiscum sum omnibus diebus usque ad consummationem saeculi (Mt 28, 20)

Continue reading

Da Comunhão Frequente

Meditação para a Quinta Segunda-feira depois de Pentecostes. Da Comunhão Frequente

Meditação para a Quinta Segunda-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre a comunhão frequente, e veremos:

1.° Que a comunhão frequente, fervorosa, é um grande bem;

2.° Que a comunhão frequente, tíbia, é um grande mal.

— Tomaremos a resolução:

1.° De vivermos tão santamente, que possamos comungar muitas vezes;

2.° De vigiarmos sobre nós depois das nossas comunhões, para tirarmos bom proveito delas. O nosso ramalhete espiritual será as palavras de Santo Agostinho:

“Vivei de modo que mereçais comungar todos os dias” – Si vive, ut quotidie merearis accipere

Continue reading

Caracteres da verdadeira e sólida Virtude

Meditação para o 5º Domingo depois do Pentecostes. Caracteres da verdadeira e sólida Virtude

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 5, 20-24

20Porque Eu vos digo: Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu.»

21«Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar terá de responder em juízo. 22Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar ‘imbecil’ será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar ‘louco’ será réu da Geena do fogo.

23Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta.

Continue reading

Da Ação de Graças depois da Comunhão

Meditação para o Quarto Sábado depois de Pentecostes. Da Ação de Graças depois da Comunhão

Meditação para o Quarto Sábado depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos:

1.° A importância da Ação de Graças depois da Comunhão;

2.° O modo de a fazer.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos com a maior exatidão e perfeição a nossa Ação de Graças;

2.º De lembrarmos muitas vezes, durante o dia, da Comunhão da manhã, dos bons sentimentos, que formamos de viver mais santamente.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

Que darei eu em retribuição ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito no só benefício da Comunhão?” – Quid retribuam Domino pro omnibus quae retribuit mihi? (Sl 115, 3)

Continue reading

Disposição para a Comunhão

Meditação para a Quarta Sexta-feira depois de Pentecostes. Disposição para a Comunhão

Meditação para a Quarta Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre as três disposições com que devemos comungar, a saber:

1.° Uma humildade cheia de respeito;

2.° Um amor cheio de confiança;

3.° Um grande desejo de nos unirmos a Nosso Senhor.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De formarmos em nós estas santas disposições antes da comunhão e durante ela;

2.° De as conservarmos e aperfeiçoarmos, todos os dias na nossa alma.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Santo Tomás:

“Coisa admirável! O Senhor dá-Se em alimento ao Seu pobre e humilde servo” – O res mirabilis! Manducat Dominum pauper servus et humilis (Ofício de Santo Tomás)

Continue reading

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑