Author: Gabriel (page 1 of 164)

Repouso e Meditação

Capítulo 42. Repouso e Meditação - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
O HOMEM moderno seria muito mais feliz se reservasse um pouco de tempo para meditação. Como o profeta do Antigo Testamento dizia: «Paz, paz e não há paz, pois ninguém se concentra no seu coração», o Evangelho diz-nos que o nosso Divino Senhor se afastara das multidões para se dirigir ao deserto, onde orava. A Marta, que estava demasiado preocupada com os seus afazeres, disse o Mestre que apenas uma coisa era necessária. Uma vida de fé e de paz de alma apenas pode ser cultivada por meio de isolamento periódico dos cuidados do mundo.

Continue reading

Jesus sem a Cruz

Meditação para o Dia 15 de Julho

Não se compreende cristão sem cruz.

“Ignorais – diz Bossuet que o nome de cristão significa homem destinado ao sofrimento?”

Os cristãos delicados, inimigos da dor, quase pagãos, querem Jesus, sim, adoram-nO e pretendem amá-lO, mas… Sem a cruz. Querem o Menino Jesus, sim, nos braços de Maria, cheio de encantos, porém, longe da gruta de Belém, da pobreza e miséria do estábulo, da companhia dos pobres e dos animais. Continue reading

O Medo e a Ética

Capítulo 41. O Medo e a Ética - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
A MAIOR parte das neuroses são baluartes contra o medo. Muitos psicólogos e médicos passaram a adotar esta tese, dado que o medo, na verdade, provoca uma espécie de autodefesa. Não é, decerto, o medo que é temido; o inimigo é a tensão entre a consciência e o que aconteceu. O medo é como o dinamômetro numa caldeira a vapor. Registra simplesmente a pressão.

O modo mais simples, mas o pior, para repelir do espírito o medo é reprimi-lo, isto é, relegá-lo para o inconsciente.

Continue reading

Abismos

Meditação para o Dia 14 de Julho

Diz misteriosamente o salmista que um abismo chama outro abismo: Abyssus, abyssum invocat. Sim, o abismo de nosso pecado chamou o abismo do sofrimento. Quando pecaram nossos primeiros pais, logo se fez sentir o castigo: a dor. Eva daria à luz aos seus filhos entre gemidos e dores – Partes in dolore. Adão comeria o pão com o suor do rosto, isto é, coma dor e o sacrifício – In sudore vultus tui… . Ali estavam os dois abismos do pecado e da dor. Um terceiro iria chamar os dois primeiros: o abismo da Misericórdia Divina. E este se abriu no Calvário. E os outros dois se precipitaram nele, no abismo da Cruz, isto é, no abismo do Amor Misericordioso. Sempre abismo a chamar abismos!

Continue reading

Amabilidade

Capítulo 40. Amabilidade - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
MUITAS pessoas, amabilíssimas nos seus lares e escritórios, podem tornar-se grosseiras e egoístas, ao volante de um automóvel. Isto é talvez devido a que nos seus lares elas são conhecidas; no automóvel, à sombra do anonimato, podem ser quase brutais sem receio de serem conhecidas. Sermos amáveis pelo receio de que os outros pensem que somos grosseiros, não é amabilidade real, mas antes uma forma dissimulada de egoísmo.

Continue reading

Vencedor, Mestre, Amigo e Herdeiro

Meditação para o Dia 13 de Julho

Saber sofrer é das artes a mais bela e a mais difícil. Quem a aprendeu é um herói, venceu a maior das batalhas. Combater, lutar com outros, bem pouco é em comparação com a luta que dentro de nós se trava entre o espírito e a carne, e com o combate às perseguições que, a cada momento, vêm-nos de fora: Lutas interiores, íntimos martírios cruciantes e perseguições de mil cruzes exteriores, semeadas pelo caminho de nossa vida. Por isso escreveu a espiritual e suave escritora russa Mme. Swetchine:

“Quem souber sofrer será vencedor de si próprio neste mundo, amigo de Jesus Cristo e herdeiro do Céu”

Continue reading

Autodisciplina

Capítulo 39. Autodisciplina - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen
A FILOSOFIA da liberdade de expressão é de tal modo tida por verdadeira, hoje em dia, que poucas pessoas há que lhe analisem o significado. A liberdade de expressão é justificada, quando significa agir de acordo com a razão e a natureza superior; não o é, quando significa agir de acordo com os instintos e a natureza inferior. Aqueles que identificam liberdade de expressão com licença, ou com o direito de fazer tudo quanto lhes apetece, pensam que autodisciplina equivale a destruírem-se a si mesmos; mas, de fato, é apenas domar o inferior por causa do que é superior. O violinista não parte a corda, quando a afina no tom do concerto; o escultor não destrói o mármore, quando o cinzela para plasmar a imagem.

Continue reading

Três Cruzes

Meditação para o Dia 12 de Julho

Santa Margarida Maria conta, numa das visões do Coração de Jesus que, num dia de Páscoa, Nosso Senhor lhe apresentara três cruzes. Perguntou-Lhe a santa a significação de tais cruzes.

“Minha filha – responde o Mestre – serás muito perseguida pelo Demônio, pelo mundo e por ti mesma”

Continue reading

Uma rápida Psicanálise

Capítulo 38. Uma rápida Psicanálise - Livro Rumo à Felicidade, de Fulton Sheen

A PSICANÁLISE significa, etimologicamente, exame da alma; esta espécie de psicanálise, levada a efeito pelo próprio indivíduo, é valiosa. Ao examinar a sua própria alma, qualquer um de nós pode aprender cinco verdades gerais acerca de todos os seres humanos:

I. Há uma dualidade em todos nós; temos consciência de uma tensão entre os nossos ideais elevados e a sua tênue realização, do conflito  entre o que devemos fazer  e o modo como agimos, de uma luta entre o nosso eu, com o seu anseio pela supremacia, e as restrições impostas à nossa vontade pelas outras pessoas, com os seus desejos opostos aos nossos. Há conflito entre o nosso desejo de sermos isentos de toda a restrição e a escravidão dos maus hábitos a que nos teremos de sujeitar se nos libertarmos de restrições; entre o anseio de sermos nós próprios, e o fato de que os nossos melhores prazeres constantemente nos alheiam de nós próprios. Este estado de tensão é endêmico no homem.

Continue reading

Negociar a Felicidade

Meditação para o Dia 11 de Julho

A felicidade é um negócio. E os que sabem empregar bem o capital em bancos e boas transações, gozam os juros de cem por um, aqui e na vida eterna. Que faz o bom negociante? Coloca o seu capital em negócios seguros e de vantagens certas. Compra e vende com lucros. Quereis ser felizes? Imitai o negociante. Com a moeda de vosso conforto, riqueza e saúde, comprai um pouco de felicidade para os que sofrem. E são tantos! O segredo da felicidade, segundo o Evangelho, está em fazer os outros felizes. Continue reading

Older posts

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑