Meditação para o Dia 10 de Outubro

Caímos outra vez! Mais um pecado grave… Ou a miséria de uma falta humilhante! Até quando, meu Deus?! … E quase desesperados nos revoltamos contra nós mesmos, num arrependimento agitado, amargo, impetuoso. Não devemos proceder assim. Precisamos ter paciência. Fomos traídos pelo coração ingrato e mau. Não o irritemos ainda mais. Quando alguém se fere não deve arranhar, irritado, a ferida, mas pensá-la cuidadosamente e acalmar-se. O doce São Francisco de Sales escreveu:

“Se eu caísse numa grande falta, não censuraria meu coração com frases como estas: Miserável! Abominável! Depois de tantas resoluções ainda te deixaste arrastar ao pecado! Morre de vergonha! Não ouses levantar os olhos para o céu, traidor, impudente, desleal, imprudente! Não, eu não lhe falaria, assim, mas procuraria corrigi-lo racionalmente, pelo caminho da piedade. dizendo-lhe docemente: Ora, meu pobre coração… Vamos! Caímos? Pois bem. Levantemo-nos. Deixemos esta miséria, vamos reclamar infinita misericórdia de Deus. Ela nos há de assistir daqui em diante, para que sejamos mais fortes, e vivamos no caminho da humildade. Coragem! Deus nos ajudará. E eu, assim, com a sólida resolução de nunca mais cair, empregaria todos os meios de não pecar” (1)

Se uma falta que tivermos a desgraça de cometer nos levar a um ato de humildade e a um arrependimento sincero, devemos ficar tranquilos.

Tenhamos paciência com o nosso coração! Ele é doente e não tem bastante juízo. Havemos de curá-lo só com bondade. Pois, meu pobre coração, levanta-te! Vamos! Vamos! Vamos para Nosso Senhor, meu pobrezinho!

Referências:

(1) Vie de Saint François de Salles – I – V

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 305)