Tag: tentação (Page 1 of 5)

Do grande Meio para Vencer as Tentações

Vigilate et orate, ut non intretis in tentationem — “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação” (Mc 14, 38)

Sumário. Meu irmão, começaste a servir a Deus, mas não penses que tenham acabado as tentações. Agora, mais do que nunca, deves preparar-te para o combate, porque o mundo, o demônio e a carne, mais do que nunca, se aprestarão para te combater, a fim de te fazer perder o que ganhaste. A arma principal que deves empregar para alcançar a vitória, deve ser um perpétuo recurso a Deus pela santa oração; e lembra-te sempre desta grande máxima: Quem reza, certamente se salva; quem não reza, certamente se condena. Continue reading

Expõem-se as objeções que se costumam apresentar contra esta doutrina

Capítulo 8. Expõem-se as objeções que se costumam apresentar contra esta doutrina - Bálsamo Espiritual

I
A prática dos Conselhos Evangélicos não é necessária para a Perfeição Cristã

Não obstante o que se disse alma devota, talvez penseis que para possuir a perfeição, a santidade perfeita, se exige muito mais; primeiro que tudo perguntais que valia dou aos Conselhos Evangélicos, que não mencionei, e que hão de ter o primeiro lugar quando se trata da perfeição. Se os julgais indispensáveis, estais enganada. Primeiro, como diz Santo Tomás, só é preciso para a santidade à obediência aos mandamentos (ver Sum. Teol. 2-2 que. 184 a. 3) tão grande autoridade deveria bastar-vos, porém quero convencer-vos com razões evidentes. Os Conselhos Evangélicos são três, Pobreza, Obediência, Castidade perfeita. Porém se fosse verdade que a prática destes conselhos fosse necessária para se obter a santidade, talvez que só os frades e freiras pudessem aspirar a tal glória. Dela seriam excluídos os casados e todos que não sujeitam a mãos alheias a vontade própria, nem vivem de esmolas. Neste caso não seria verdade que Deus quer que todos sejam Santos, como em vários lugares afirma a Sagrada Escritura, pois não quer que todos os homens pratiquem os Conselhos. A ordem de sua Providência quer que uns observem a continência, outros se casem, sejam ricos, pobres, não desaprova o Senhor que algumas pessoas se governem a si, aprecia, porém os que se submetem à obediência sacrificando a vontade própria. No entanto, quer que todos se tornem Santos. É, pois, um erro verdadeiro pensar que os Conselhos Evangélicos são necessários para a santidade. Continue reading

Escravidão do pecado

Escravidão do pecado, Tesouros de Cornélio à Lápide

O pecado faz-nos escravos

Escutai aquilo que diz o mesmo Jesus Cristo: Em verdade, em verdade, Eu vos digo, todo aquele que peca, é escravo do pecado: Amen, amen dico vobis, quia omnis qui facitpeccatum, servus estpeccati (Jo 8, 34).

Ó miserável servidão!, exclama Santo Agostinho; o escravo de um homem, cansado dos duros tratamentos de seu dono, pode algumas vezes achar repouso na fuga; porém, o escravo do pecado, onde poderá ocultar-se? Em qualquer parte onde se esconda, faz-se traição a si mesmo. A má consciência não pode fugir de si mesma, não há lugar onde possa ir para ser livre; persegue-se, ou melhor, sempre está ali; porque o pecado está em seu interior[1].

Prometem-se a liberdade, diz o Apóstolo São Pedro, quando, de fato, eles mesmos tornam-se escravos da corrupção; pois quem é vencido por outro, deste mesmo vencedor toma-se escravo: Libertatem illis promittentes, cum ipsi servi sint corruptionis; a quo enim quis superatus est, hujus et servus est (2 Pd 2, 19). Continue reading

Demônios

Demônios, Tesouros de Cornélio à Lápide

Há demônios

Não há dúvida que há espíritos malfeitores que se chamam demônios, pois a Sagrada Escritura no-lo testemunha e todas as nações o reconhecem unanimemente.

As nações pagãs acreditaram na existência de certos entes, uns bons e outros maus, deduzindo disto que era preciso ganhar o afeto dos bons com respeito, oferendas e orações. E apaziguar a cólera e a malignidade dos maus. Daí, nasceram a idolatria, o politeísmo, as práticas supersticiosas, a magia, a adivinhação etc. Esta crença também foi a dos filósofos pagãos.

A Revelação veio a esclarecer-nos sobre a existência dos demônios. Moisés diz-nos que a primeira mulher foi enganada e desobedeceu a Deus por sugestão de um inimigo pérfido oculto sob a forma de serpente (Gn 3, 1). Diz o livro do Deuteronômio que os israelitas imolaram seus filhos aos demônios (Dt 32, 17). O Salmista menciona o mesmo fato: Immolaverunt filios suos et filias suas demoniis (Sl 105, 37).

Jesus Cristo falou da existência dos demônios; os expulsava dos corpos dos possuídos. Também os Apóstolos falam-nos deles. A existência dos demônios é um dogma da Igreja Católica. Continue reading

Concupiscência

Concupiscência, Tesouros de Cornélio à Lápide

O que é concupiscência

Em si mesma, a concupiscência é o apetite dos sentidos, uma inclinação natural aos bens sensíveis; esta inclinação, este apetite não são maus, a não ser que sejam contrários à razão e à Lei de Deus.

A concupiscência não é uma potência mal produzia pelo demônio; nenhuma potência pode ser má por si mesma, nem pode ser produzida pelo demônio.

A concupiscência não é tampouco o pecado original; porque o pecado original é destruído pelo Batismo, enquanto a concupiscência ainda permanece. Não é, por fim, como o quer Calvino, uma coisa corrompida pelo pecado original e semelhante a um forno sempre aceso que vomita o pecado. Continue reading

Recorrer a Deus nas aflições

Meditação para o 18º Domingo depois do Pentecostes. Recorrer a Deus nas aflições

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 9, 1-7

1Depois disto, subiu para o barco, atravessou o mar e foi para a sua cidade. 2Apresentaram-lhe um paralítico, deitado num catre. Vendo Jesus a fé deles, disse ao paralítico: «Filho, tem confiança, os teus pecados estão perdoados.» 3Alguns doutores da Lei disseram consigo: «Este homem blasfema.»

4Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: «Porque alimentais esses maus pensamentos nos vossos corações? 5Que é mais fácil dizer: ‘Os teus pecados te são perdoados’, ou: ‘Levanta-te e anda’? 6Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem, na terra, poder para perdoar pecados – disse Ele ao paralítico: ‘Levanta-te, toma o teu catre e vai para tua casa.»

7E ele, levantando-se, foi para sua casa. 8Ao ver isto, a multidão ficou dominada pelo temor e glorificou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.

Continue reading

Maria, nosso Refúgio nas Tentações

Meditação para o dia 21 de Maio. Maria, nosso Refúgio nas Tentações

Meditação para o dia 22 de Maio

O demônio tem medo da Mãe de Deus

Não só do céu e dos santos é Maria Santíssima Rainha, senão também do inferno e dos demônios, porque os venceu valorosamente com suas virtudes. Já desde o princípio do mundo tinha Deus predito à serpente infernal a vitória e o império que sobre ela obteria nossa Rainha.

“Eu porei inimizade entre ti e a mulher; ela te esmagará a cabeça” (Gn 3, 16)

Mas quem foi esta mulher, sua inimiga, senão Maria, que com a sua profunda humildade e santa virtude sempre venceu e abateu as forças de Satanás, como atesta São Cipriano? É para se notar que Deus falou “eu porei” e não “eu ponho” inimizade entre ti e a mulher. Isto faz para mostrar que a sua vencedora não era Eva, que já então vivia, mas uma sua descendente. Esta devia trazer a nossos primeiros pais, como diz São Vicente Ferreri, um bem maior do que aquele que tinha perdido com o seu pecado. Maria é, portanto, essa excelsa mulher forte que venceu o demônio e, em lhe abatendo a soberba, lhe esmagou a cabeça, conforme as palavras do Senhor:

“Ela te esmagará a cabeça”

Continue reading

Obstáculo à Paz: as Tentações e os Escrúpulos

Meditação para a Quinta-feira da Pascoela. Obstáculo à Paz: as Tentações e os Escrúpulos

Meditação para a Quinta-feira da Pascoela

SUMARIO

Meditaremos sobre dois outros obstáculos à paz interior, a saber:

1.° As tentações;

2.° Os escrúpulos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De nos distrairmos tranquilamente das nossas tentações, logo que as descobrirmos;

2.° De servirmos a Deus com desafogo, confiança e amor, sem nos inquietarmos com o temor de Lhe desagradar.

O nosso ramalhete espiritual será a petição da oração dominical:

“Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal” – Ne nos inducas in tentationes, sed libera nos a malo

Continue reading

As Três Tentações de Jesus no Deserto

Meditação para a Segunda-feira da Primeira Semana da Quaresma. As Três Tentações de Jesus no Deserto

Meditação para a Segunda-feira da Primeira Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre as três tentações de Jesus no deserto, a saber:

1.° Um cuidado excessivo do corpo e da saúde;

2.° O amor-próprio, que presume de suas forças e deseja mostrar-se;

3.° A ambição e o interesse próprio.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De evitarmos o demasiado apuro no cuidado do corpo;

2.° De tendermos somente para Deus em todas as coisas.

O nosso ramalhete espiritual será o conselho do Apóstolo São Tiago:

“Resisti ao demônio, e ele fugirá de vós” – Resistite diabolo, et fugiet a vobis (Tg 4, 7)

Continue reading

As Tentações em Geral

Meditação para o Sábado da Páscoa. As Tentações em Geral

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 1-11

Então, o Espírito conduziu Jesus ao deserto, a fim de ser tentado pelo diabo. Jejuou durante quarenta dias e quarenta noites e, por fim, teve fome.

O tentador aproximou-se e disse-lhe: «Se Tu és o Filho de Deus, ordena que estas pedras se convertam em pães.» Respondeu-lhe Jesus: «Está escrito: Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.» Então, o diabo conduziu-o à cidade santa e, colocando-o sobre o pináculo do templo, disse-lhe: «Se Tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo, pois está escrito:

Dará a teu respeito ordens aos seus anjos;
eles suster-te-ão nas suas mãos
para que os teus pés não se firam nalguma pedra.»
Disse-lhe Jesus: «Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus!»

Em seguida, o diabo conduziu-o a um monte muito alto e, mostrando-lhe todos os reinos do mundo com a sua glória, disse-lhe: «Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares.» Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.»

Então, o diabo deixou-o e chegaram os anjos e serviram-no.

Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑