Santo Afonso Maria de Ligório, fundador da Congregação do Santíssimo Redentor

Santo Afonso Maria de Ligório, fundador da Congregação do Santíssimo Redentor

De nosso Pai Santo Afonso aos seus Congregados

A nós foi dirigida esta mensagem (At 13, 26), para que esta palavra de verdade preceda todos os nossos atos (Ecl 37, 20)

Salve Maria, nossa Dulcíssima Esperança!

Este pequeno livro, datado do ano de 1964, traz uma coletânea de 20 cartas escritas por Santo Afonso que foram direcionadas aos religiosos de sua Congregação, os Redentoritas. Além de beneficiar aos membros desta obra de Deus fundada pelo Santo Doutor, julgo oportuno trazê-la a nós fiéis para que também possamos apreciar o conteúdo destas cartas repletas de zelo e amor a Deus e as almas.

Índice das Cartas de Santo Afonso

Apresentação
1 – Vocação… Missões (Novembro, 1751)
2 – Amor à Humildade (Julho, 1752)
3 – Perfeição Religiosa (Agosto, 1754)
4 – Missões (Agosto, 1755)
5 – Correspondência Epistolar (Agosto, 1756)
6 – Pobreza… Observância Regular (Outubro, 1757)
7 – Avisos e Conselhos (Agosto, 1758)
8 – Recomendações (Setembro, 1758)
9 – Espírito Religioso… Avisos (Agosto, 1765)
10 – As Perseguições (Outubro, 1766)
11 – Amemos a Deus e a Regra (Julho, 1767)
12 – Emendemo-nos (Setembro, 1770)
13 – Defeitos e Virtudes (Fevereiro, 1771)
14 – Zelo da Observância (Junho, 1773)
15 – Avisos para as Missões (Setembro, 1773)
16 – Amor a Jesus e à Congregação (Julho, 1774)
17 – Oração… Missões (Novembro, 1775)
18 – Êxito das Missões (Outubro, 1776)
19 – Missões… Observância (Julho, 1779)
20 – A Observância Restaurada (Abril, 1783)

Apresentação

Em boa hora um de nossos Padres oferece-nos uma tradução fiel das Cartas Circulares de nosso Pai Santo Afonso.

É um trabalho muito oportuno porque:

1.º O último Capítulo Geral C.Ss.R. 1963 — desejou e até mesmo decretou a elaboração do Directorium Spirituale. Um manual da espiritualidade afonsiano-redentorista, constando, a primeira parte, das fontes afonsianas, originais, desta espiritualidade. E que documento poderá retratar melhor o espírito do Fundador do que sua correspondência epistolar, principalmente a que é dirigida a seus filhos, cartas, onde o Santo derrama sua alma? Eis aqui, pois, uma ótima e oportuna colaboração para o Directorium Spirituale C.Ss.R. Colaboração que completará o Diretório Espiritual pela tradução, na íntegra, de todas as cartas que o Santo nos dirigiu. — Em boa hora, pois, o tradutor nos abre a alma de nosso Pai, recendendo aroma e graça, na mais bela flor do Lácio.

2.º Diz o Evangelho que o Pai de Família ensina seus filhos com a lição das coisas antigas — “vetera”— adaptando-as à necessidade do tempo — “nova” . Quer dizer, dos princípios imutáveis, da doutrina tradicional, o Pai tira fermento vigoroso, alimento vivo, pensamento atualizado, de tal modo que, “nova et vetera” sejam o tesouro de uma única e mesma Verdade. Ora, o Doutor Zelosíssimo da Igreja, o Pai de Família, ao escrever suas Cartas, respondia ao clamor exigente e desesperado do mundo atual que, sedento, pede e grita por uma só coisa — Amor!

O Amor de Deus e do próximo — esta é a grande lição, sempre antiga e sempre nova, que Santo Afonso nos ensina e faz de suas Cartas Circulares verdadeira cartilha do Amor. Esta preocupação e santa obsessão do Santo esconde-se também naqueles tópicos que focalizam uma mentalidade, uma situação, um fato especial daquele tempo, coisas cujo colorido e sabor podem, por vezes, parecer-nos estranhos e escapam à nossa compreensão por não lhes conhecermos todas as circunstâncias.

A linguagem de suas Cartas: Amor ardente a Jesus Cristo — Redenção das almas imortais. Amor e zelo. Fazer-se santo para ser apóstolo. Perseverança no Amor Redentor. Perseverança na vocação, no cumprimento humilde e abnegado da Vontade de Deus. “Il gusto di Dio!”

O Santo quer que nos encontremos a nós mesmos, antes; e, só assim, só depois, o encontro das almas. O “aggiornamento” da pastoral, das obras de apostolado — “nova” — somente será fecundo, redentor, se procurarmos, no Coração do Pai, aquele tesouro sempre antigo e sempre novo da nossa santificação — o Amor de Deus — um ardente Amor a Jesus Cristo.

E, não será esta a mensagem oportuna, atualíssima, que Nosso Pai Santo Afonso nos envia, por suas Cartas, particularmente a nós, missionários atirados neste mundo atual, tão faminto de Amor?…

3.º Finalmente, em boa hora abrimos estas Cartas, porque esta tradução para o vernáculo nos vem como um precioso presente de aniversário. Sim, presente de aniversário, porque a Congregação do Santíssimo Redentor está comemorando o 70° aniversário de sua chegada ao Brasil. Precisamente há 70 anos os Redentoristas faziam suas primeiras fundações em Minas — São Paulo — Goiás.

Que o Santo autor destas Cartas, abençoando seu venerando tradutor, nos enriqueça sempre mais, pelas mãos dadivosas da Mãe do Perpétuo Socorro, com o tesouro do ardente e apostólico Amor a Jesus Cristo.

São Paulo, 1º de janeiro de 1964.
Pe. José Ribólla, C.Ss.R.— Prov. — SP.