Meditação para o Dia 24 de Janeiro

Primeiro, porque Deus a permitiu, e tudo que Deus permite, estejamos bem certos disto, é para nosso bem. Depois, como a saúde, a doença é também um dom de Deus. Nosso Senhor nô-la dá para provar nossa virtude e corrigir-nos de nossos defeitos; para mostrar-nos a nossa fraqueza e os desabusar; para desapegar-nos do amor às coisas terrenas e dos prazeres sensuais; para amortecer o ardor impetuoso e diminuir as forças da carne, nosso grande inimigo; para nos lembrar que estamos aqui no exílio e que o Céu é a nossa verdadeira pátria; para dar-nos, enfim, todas as vantagens que se recolhem dessa provação, quando se aceita com gratidão, como um favor especial (1).

Quantas vantagens! E ainda há quem pergunte, com desespero:

“Por que a doença, meu Deus? Por que sofrer?”

“Bem santificada, escreve o Pe. Saint Jure, a doença é um dos momentos mais preciosos da vida. Muitas vezes, num dia de doença, suportada como é preciso, adiantamos mais na virtude, pagamos mais à justiça Divina pelos nossos pecados passados, juntamos mais tesouros para o Céu, tornamo-nos mais agradáveis a Deus e Lhe damos mais glória do que numa semana ou num mês de saúde” (2)

E ainda perguntais:

“Por que a doença?”

Referências:
(1) Pe. Rodrigues – Perf. Christ, 80. tact. c. XVI.
(2) Pe. Saint jure – Com. et. am. N. S. C. I – III – c. XXIV

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 33)