Capítulo 29: Do quinto fruto da sexta palavra
Um quinto fruto se há de colher daquela palavra, por ela significar também, que o edifício da Igreja se concluiu na Cruz, e que a mesma Igreja saiu do lado de Cristo moribundo, assim como Eva saíra da costela de Adão, quando este dormia. Este mistério nos ensina que amemos a cruz, que a honremos, e que dedicadamente nos afeiçoemos a ela. Quem há, pois, que não tenha afeição ao lugar da naturalidade de sua mãe? Admirável é sem dúvida a que todos os fiéis consagram à sacratíssima casa do Loreto, por nela ter nascido a Virgem Mãe de Deus, pois o Anjo diz a José:

“O que nela se gerou, é obra do Espírito Santo” (Mt 1)

Daqui vem, que a Igreja, não se esquecendo da sua origem, em toda a parte representa a Cruz, em toda a parte a põe: na testa, nos templos, nas casas, não faz sacramento nenhum sem Cruz; nada santifica, benzendo, sem cruz, dedicamos, porém uma especial afeição à Cruz, quando alguma adversidade suportamos por amor do Crucificado, pois é gloriar-se na Cruz fazer o que os Apóstolos faziam quando, jubilosos, saíram do conselho, por terem sido achados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Jesus (At 5), e o Apóstolo São Paulo, explica o que é gloriar-se na Cruz, dizendo:

“Gloriamo-nos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência, a paciência a experiência e a experiência a esperança, e que a esperança não traz confusão porque a caridade de Deus está derramada em nossos corações pelo Espírito Santo, que nos foi dado” (Rm 5)

De onde conclui, escrevendo aos Gálatas:

“Nunca Deus permita que eu me glorie senão na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem o mundo está crucificado para mim, e eu para o mundo” (Gl 6)

O triunfo verdadeiro da Cruz consiste em que o Mundo com as suas pompas e deleites morra para a alma cristã, e amante de Cristo crucificado, ela morra para o Mundo, amando a tribulação e o desprezo, que o Mundo aborrece, e odiando os prazeres carnais e a glória temporal que o Mundo ama: deste modo perfeiçoa-se e completa-se o servo de Deus, para também dele se poder dizer: — Está consumado.


Voltar para o Índice de As Sete Palavras de Cristo na Cruz, de São Roberto Belarmino

(BELARMINO, Cardeal São Roberto. As Sete Palavras de Cristo na Cruz. Antiga Livraria Chadron, Porto, 1886, p. 240-242)