Meditação para o Dia 26 de Julho

Quando Maria Antonieta seguiu o caminho do Patíbulo, disse, com muita fé e resignação:

“Vou receber um grande sacramento”

Ela tinha razão. O sofrimento é, na verdade, um sacramento, que um santo acrescentava aos sete da Igreja. O oitavo Sacramento de amor e de misericórdia! Quantas graças não nos traz do Céu! O que perdeu a graça a encontra, muitas vezes, na dor. Quantos santos, em gozo da glória, estariam talvez hoje no Inferno, se não tivessem sofrido, se a Divina Providência não os houvesse ferido com a adversidade! Com os sacramentos, o sofrimento aumenta a graça e nos enriquece de méritos para o Céu. Será mister prová-lo? Já não o vimos tantas vezes nestas páginas? O sofrimento é um Batismo de regeneração, a Confirmação de nossa miséria, a Penitência de nossos pecados, a Eucaristia do Amor, a Unção dos enfermos, da Misericórdia, a Ordem que nos consagra vítimas do Amor, o Matrimônio do Celeste Esposo.

Grande Sacramento! E não se pode entrar no Céu sem o receber. Não nos ordena Jesus a penitência como necessária porta do Céu?

“Se não fizeres penitência, todos perecereis!”

Vede o que nos diz o Evangelho sobre a necessidade da Penitência! Podemos salvar-nos sem penitência? E que é a penitência senão o Sofrimento? Sem o primeiro e o oitavo sacramento, não entrará, quem pecou, no Reino dos Céus!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 225)