Meditação para o Dia 06 de Dezembro

O segredo de sofrer com paciência é não se inquietar nem com o passado, nem com o presente, e muito menos, com o futuro. Aceitai o que vier cada dia. Nosso Senhor nos manda tomar a cruz de cada dia para O seguir.

Tollat crucem suam… quotidie

Notai bem:

“A cruz de cada dia…”

Sufficit diet malitia sua – “Basta a cada dia a sua malícia”

Um sofrimento, um revés, uma doença, um golpe de coração. Aceitemos resignadamente tudo, tudo. Absolutamente tudo. A natureza se revolta e se impacienta numa agitação estéril e que só agrava a nossa situação. Façamos ouvir logo no primeiro grito da natureza revoltada a voz tão doce de Nosso Senhor:

Sufficit diet malitia sua – “Basta a cada dia a sua malícia”

O Pe. Lacordaire comenta:

“Que bela e tocante palavra! E como é apropriada à nossa miséria! Não nos inquietemos com o futuro! Carreguemos somente o fardo de cada dia!” (1)

A cruz se torna mais leve quando aceita por amor. É preciso tomá-la, pois, todo dia – quotidie… Quanto tempo ficará assim pesando sobre nossos ombros? Se quisermos santificar-nos deveras… A vida inteira a carregaremos. “Impossível! Não se pode suportar tamanha dor!” – diz a natureza revoltada. A graça, porém, vence a natureza. E, se Nosso Senhor nos manda carregar a cruz de “cada dia”, é porque nos dá também “o pão de cada dia”, o pão da Sua Graça, o pão do Seu Amor!

Referências:

(1) Lettres à des Jeunes gens.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 365)