Dos Sermões de São Bernardo (1091-1153), abade e doutor da Igreja

Saiba toda a alma que busca a Deus que ela foi por Ele procurada primeiro, que a buscou antes que ela O buscasse.

«Toda a noite procurei Aquele que o meu coração ama» (Ct 3,1).

A alma procura o Verbo, mas é o Verbo Quem a procura de antemão. Quando entregue a si própria, a nossa alma mais não é do que um sopro que passa e não volta (Sl 78(77),39). Escutai o que ela diz, ao longe fugitiva e à deriva:

«Ando errante como ovelha perdida; vem à procura do teu servo» (Sl 119(118),176).

Homem, queres voltar? Mas se isso depende da tua vontade, porque pedes auxílio?

É evidente que queres e não podes, pois não és mais do que um sopro que passa e não volta, e todo aquele que não quer ainda mais longe anda.
Mas donde lhe vem essa vontade?

De que a procurou e visitou antes o Verbo, numa procura em tudo menos ociosa uma vez que lhe despertou a vontade sem a qual não poderia voltar.

No entanto, não basta que o Senhor a tenha buscado uma vez, tanta é a laxidão e tantas as dificuldades da volta. «O querer está ao meu alcance, diz, mas realizar o bem, isso não» (Rm 7,18).

O que busca, então, aquele que citamos no Salmo?

Apenas isso mesmo: que o busquem, pois nunca faria isto se não fosse de antemão buscado e, por conseguinte, não recomeçaria a sua busca se o tivessem suficientemente buscado.