Tag: amor (page 1 of 24)

Apreço e Amor da Castidade

Meditação para a Vigésima Terceira Quarta-feira depois de Pentecostes. Apreço e Amor da Castidade

Meditação para a Vigésima Terceira Quarta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Das meditações sobre a modéstia passaremos às meditações sobre a virtude da castidade, que é como que sua irmã, e veremos:

1.° A estima e amor que devemos ter para com esta virtude;

2.° O cuidado com que devemos guardá-la.

— Tomaremos a resolução:

1.° De vigiarmos constantemente sobre o nosso coração e os nossos sentidos, para conservarmos a castidade;

2.° De evitarmos tudo o que expõe a perdê-la.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra da Sabedoria:

“Quão formosa é a alma casta” – Quam puchra est casta generatio cum claritate! (Sb 4, 1)

Continue reading

Confiança em Deus

Meditação para o 23º Domingo depois do Pentecostes. Confiança em Deus

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 9, 18-26

Naquele tempo, 18enquanto Jesus lhes dizia estas coisas, aproximou-se um chefe que se prostrou diante dele e disse: «Minha filha acaba de morrer, mas vem impor-lhe a tua mão e viverá.»

19Jesus, levantando-se, seguiu-o com os discípulos. 20Então, uma mulher, que padecia de uma hemorragia há doze anos, aproximou-se dele por trás e tocou-lhe na orla do manto, 21pois pensava consigo: ‘Se eu, ao menos, tocar nas suas vestes, ficarei curada.’ 22Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse-lhe: «Filha, tem confiança, a tua fé te salvou.» E, naquele mesmo instante, a mulher ficou curada.

23Quando chegou a casa do chefe, vendo os flautistas e a multidão em grande alarido, disse: 24«Retirai-vos, porque a menina não está morta: dorme.» Mas riam-se dele. 25Retirada a multidão, Jesus entrou, tomou a mão da menina e ela ergueu-se. 26A notícia espalhou-se logo por toda aquela terra.

Continue reading

Da Amabilidade Cristã

Meditação para o Vigésimo Segundo Sábado depois de Pentecostes. Da Amabilidade Cristã

Meditação para o Vigésimo Segundo Sábado depois de Pentecostes

SUMARIO

Continuaremos a estudar a amabilidade cristã em Nosso Senhor, e veremos quanto Ele foi amável:

1.° Na vida doméstica;

2.° Para com os inferiores e aflitos;

3.° Para com os que tem defeitos;

4.° Para com os seus inimigos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos mostrarmos sempre amáveis e atenciosos na vida doméstica;

2.° De acolhermos sempre cordialmente os meninos, os pobres e os aflitos;

3.° De opormos somente a bondade e caridade aos defeitos e erros dos outros.

O nosso ramalhete espiritual serà a palavra do Apóstolo:

“Em tudo procuro agradar a todos, não buscando o que me é de proveito, senão o de muitos – Per omnia omnibus placeo, non quaerens quod mihi utile, est, sed quod multis (1Cor 10, 33).

Sede nisto meus imitadores, bem como eu também o sou de Jesus Cristo” – Imitatores mei estote, sicut et ego Christi (1Cor 11, 1)

Continue reading

A Caridade é sempre Amável

Meditação para a Vigésima Segunda Sexta-feira depois de Pentecostes. A Caridade é sempre Amável

Meditação para a Vigésima Segunda Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre o oitavo caractere da caridade, que é a amabilidade cristã; e para formarmos dela uma exata ideia, a estudaremos no mesmo Jesus Cristo, nosso adorável modelo; e veremos quanto foi amável:

1.° Pelo seu gênio;

2.° Pelas suas obras;

3.° Pelas suas palavras.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De tratarmos toda a gente com urbanidade, sem nunca praticarmos uma só ação, nem dizermos uma só palavra contrárias à mais apurada polidez;

2.° De vigiarmos muito em particular o nosso gênio, para reprimirmos os seus ímpetos.

O nosso ramalhete espiritual serà a palavra do livro da Sabedoria:

“O sábio faz-se amável pelas suas palavras” – Sapiens in verbis seipsum amabilem facit (Ecl 20, 13)

Continue reading

A Caridade é sempre Benévola

Meditação para a Vigésima Segunda Quinta-feira depois de Pentecostes. A Caridade é sempre Benévola

Meditação para a Vigésima Segunda Quinta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre outro caractere da caridade, que é a benevolência, e veremos:

1.° Em que consiste esta benevolência;

2.° As razões que nos obrigam a ser benévolos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De procurarmos fazer a felicidade de todos os que nos cercam, e agradar sempre ao próximo;

2.° De nos abnegarmos a nós mesmos a ponto de nos alegrarmos com os que estão alegres, e de entristecermo-nos com os que estão tristes.

O nosso ramalhete espiritual serà a palavra do Apóstolo:

“Cada um procure agradar ao seu próximo no que é bom” – Unusquisque… proximo suo placeat in bonum (Rm 15, 2)

Continue reading

A Caridade não pensa nem fala mal do Próximo

Meditação para a Vigésima Segunda Quarta-feira depois de Pentecostes. A Caridade não pensa nem fala mal do Próximo

Meditação para a Vigésima Segunda Quarta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre o sexto caractere da caridade cristã, que é a indulgência; e veremos:

1.° Que nunca devemos pensar mal do próximo, a menos que esse mal não seja notório;

2.° Que nunca devemos falar mal dele, a menos que o mal não seja conhecido ou não haja uma razão de utilidade em o dizer.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De termos para com o próximo uma indulgência que nos leve a pensar sempre bem dele, e a não o criticar e censurar;

2.° De nunca dizermos coisa alguma que ofenda a caridade, ou que não quiséramos que dissessem de nós.

O nosso ramalhete espiritual serà a palavra de São Tiago:

“Se alguém não tropeça em qualquer palavra, este é varão perfeito” – Si quis in verbo non offendit, hic perfectus est vir (Zc 3, 2)

Continue reading

A Caridade é Compassiva

Meditação para a Vigésima Segunda Terça-feira depois de Pentecostes. A Caridade é Compassiva

Meditação para a Vigésima Segunda Terça-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre o quinto caractere da caridade, que é ser terna e compassiva; e veremos:

1.° Quanto este caractere é essencial à caridade;

2.° Quanto a dureza, que é o vício oposto, lhe é contrária.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos compadecermos de todos os aflitos e de os consolarmos ou alegrarmos do melhor modo que pudermos;

2.° De evitarmos as palavras ríspidas, o exterior severo e altivo, e de mostrarmos, ao contrário, para com todos um semblante alegre e benévolo, maneiras agradáveis e cordiais.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Apóstolo:

“Revesti-vos para com todos de entranhas de misericórdia, de benignidade, de humildade, de modéstia, de paciência” – Induite vos… viscera misericordiae, benignitatem, humilitatem, modestiam, patientiam (Col 3, 12)

Continue reading

A Paciência

Meditação para o 22º Domingo depois do Pentecostes. A Paciência

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 22, 15-21

Naquele tempo, 15 os fariseus reuniram-se para combinar como o haviam de surpreender nas suas próprias palavras. 16Enviaram-lhe os seus discípulos, acompanhados dos partidários de Herodes, a dizer-lhe: «Mestre, sabemos que és sincero e que ensinas o caminho de Deus segundo a verdade, sem te deixares influenciar por ninguém, pois não olhas à condição das pessoas. 17Diz-nos, portanto, o teu parecer: É lícito ou não pagar o imposto a César?»

18Mas Jesus, conhecendo-lhes a malícia, retorquiu: «Porque me tentais, hipócritas? 19Mostrai-me a moeda do imposto.» Eles apresentaram-lhe um denário. 20Perguntou: «De quem é esta imagem e esta inscrição?» 21«De César» – responderam. Disse-lhes então: «Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.»

Continue reading

A verdadeira Caridade é Benigna

Meditação para a Vigésima Primeira Sexta-feira depois de Pentecostes. A verdadeira Caridade é Benigna

Meditação para a Vigésima Primeira Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre o segundo carácter da caridade, que é a mansidão; e veremos que é um dever:

1.º Para com Deus;

2.° Para com o próximo;

3.° Para conosco conservarmo-nos sempre mansos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De reprimirmos os nossos movimentos de impaciência e de ira; de nunca obrarmos nem falarmos dominados pela emoção, e de esperarmos que estejamos sossegados;

2.° De procurarmos ter para com todos um aspecto benigno, um acolhimento cordial e afável.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Apóstolo:

“Convém que o servo do Senhor seja manso para com todos” – Servum Domini non oportet litigare, sed mansuetum esse ad omnes (2Tm 2, 24)

Continue reading

Ainda sobre o Amor sobrenatural do Próximo

Meditação para a Vigésima Primeira Quinta-feira depois de Pentecostes. Ainda sobre o Amor sobrenatural do Próximo

Meditação para a Vigésima Primeira Quinta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos:

1.° Sobre a excelência do amor sobrenatural, que devemos ao próximo;

2.° Sobre os sinais que no-lo dão a conhecer.

— Tomaremos a resolução:

1.° De nunca falarmos dos ausentes senão para dizer bem deles;

2.° De tratarmos sempre quer os presentes, quer os ausentes, com as mesmas atenções com que trataríamos Jesus Cristo.

O nosso ramalhete espiritual será a recomendação de São Pedro:

“Antes de todas as coisas tende entre vós mesmos mutuamente uma constante caridade” – Ante omnia autem mutuam in vobismetipsis caritatem continuam habentes (1Pd 4, 8)

Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑