Meditação para o Dia 13 de Julho

Saber sofrer é das artes a mais bela e a mais difícil. Quem a aprendeu é um herói, venceu a maior das batalhas. Combater, lutar com outros, bem pouco é em comparação com a luta que dentro de nós se trava entre o espírito e a carne, e com o combate às perseguições que, a cada momento, vêm-nos de fora: Lutas interiores, íntimos martírios cruciantes e perseguições de mil cruzes exteriores, semeadas pelo caminho de nossa vida. Por isso escreveu a espiritual e suave escritora russa Mme. Swetchine:

“Quem souber sofrer será vencedor de si próprio neste mundo, amigo de Jesus Cristo e herdeiro do Céu”

Vencedor de si, do próprio eu abatido pelo sofrimento, eis a vitória! Cortado o mal pela raiz, que é o orgulho, o eu vivo, está ganha a peleja. Mestre do mundo! Quem tudo desprezou e tudo soube sofrer, conquistou o mundo. No dizer do Mestre, é o pacífico que possui a terra. Quem despreza o mundo por amor de Deus é o senhor do mundo, porque o mundo poderoso e agitador de corações já não vence o homem verdadeiramente interior! Amigo de Jesus Cristo! Não é Jesus o amigo dos que sofrem? Nem é mister prová-lo. Basta ler o Evangelho:

“Vinde a mim vós que sofreis, eu vos aliviarei!”

Que consoladora promessa! A amizade dos grandes se conquista em banquetes e festins; o amor de Jesus, no sofrimento e no Calvário. Finalmente, o que sabe sofrer é o herdeiro do Céu. Não está cheia a Escritura de promessas e recompensas aos que padecem? E as bem-aventuranças? Muitas terminam assim: “porque deles é o reino dos céus…” Então não vale a pena sofrer um pouco por amor de Deus?

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 212)