Meditação para o Dia 30 de Julho

“Deus – escreveu Lacordaire – ocultou no sofrimento um bálsamo reparador e misterioso. A alegria de sofrer, que experimentaram os verdadeiros amigos de Nosso Senhor, o mundo jamais será capaz de a entender”

Santa Teresa disse:

“Este sentimento, sentimento simultâneo de alegria e de dor, é uma alegria apenas nascente, algo de incompreensível para mim. O prazer e a dor que sinto ao mesmo tempo, são para mim um mistério” (1)

São Francisco de Sales escreve admiravelmente sobre esse mistério de dor e alegria na alma do justo:

“Jesus Cristo sofre com quem por Ele sofre… Jesus tirados sofrimentos de seus amigos uma parte. Seu divino Amor faz achar doçura na dor, semelhantemente a fontes de água doce que se encontrassem em pleno oceano e às aragens frescas recebidas na fornalha pelos três meninos da Babilônia. Quando se ama não se sofre, mas, se vem o sofrimento, é recebido com amor” (2)

Em cada amargura, em cada provação, uma gota de bálsamo suave e delicioso de amor e de paz. Para quem ama a Jesus, a própria dor consola – ipse consolatur dolor, observa Santo Agostinho. Oh! Doce mistério de amor e de misericórdia! Sofre-se o tormento, o exílio, o castigo, a punição do pecado, goza-se desde já a recompensa, a paz, a suavidade do Amor. Por isso é que um solitário, já no fim de uma vida austera, dizia:

“Senhor, Vós me enganastes! Julgava que, para Vos servir, era preciso sofrer só e muito para Vós e, entretanto, que doçura e que paz! Vós me enganastes, Senhor!”

Referências:
(1) Vida de Santa Teresa, por ela mesma, Caps. XXX e XXXV
(2) Esprit doe Saint François de Salles – III – part. c. XLVIII

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 229)