Meditação para o Dia 06 de Outubro

“O sofrimento – diz Lehodey (1) – é o alimento necessário, substancial, do santo amor”

O Amor Divino cresce na dor. Quanto mais pungente é a dor, tanto mais vivas são as chamas do amor. É no Calvário que se ama verdadeiramente! Para se compreenderem bem certos segredos do amor, é necessário sofrer e sofrer muito. Os santos tinham fome do sofrimento e podiam dizer, com Santa Teresinha:

“Eu não poderia viver neste mundo sem o Amor e o sofrimento”

Pode-se, porventura, viver sem alimento? E pode, quem ama, viver sem padecer, se o seu alimento é o pão do sofrimento? Quando se ama, dizia Santa Maria Madalena Postel (2):

“Nada se padece, porque é muito grande a felicidade de sofrer pelo objeto amado”

No festim das almas abrasadas, realiza-se o banquete do Amor, em que o Mestre parte com elas o pão da dor. Essas almas, quanto mais sofrem, mais querem sofrer, porque, também, quanto mais se ama, mais se deseja amar. Elas sofrem para mais amar e amam para mais sofrer. Amam porque sofrem e sofrem porque amam. Tirai o sofrimento a uma alma abrasada no Divino Amor e ela vos dirá, como Santa Teresa, QUE SOFRE, PORQUE NÃO SOFRE! Tão identificada fica com seu Divino Amor que, como São Paulo, não ama e nada quer amar nem conhecer senão Jesus e Jesus Crucificado! Não pode viver longe do Calvário!

Ó vida preciosa e rica de méritos!

Referências:

(1) D. Vital Lehodey – Saint Abandon – II part. c. V
(2) Sainte Marie M. postel – 2º vol. – c. XXVII

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 301)