Tag: pecado (page 1 of 7)

O Sol e a Lua

Meditação para o Dia 20 de Fevereiro

“O homem santo, diz a Escritura, permanece na sabedoria como o Sol, mas o insensato muda como a lua”

O pecador insensato se distingue pela inconstância e impaciência em todos os seus atos. Ora crê, ora descrê. Hoje ri, ditoso na prosperidade, regozija-se com seus amigos, goza a felicidade até a embriaguez, até a loucura. Amanhã vem o golpe da adversidade. Uma desgraça, uma doença, uma calamidade qualquer. Continue reading

Quem Deve Mais?

Meditação para o Dia 16 de Fevereiro

Vivemos contando, medindo cuidadosamente os sofrimentos que nos afligem. De nada nos esquecemos. Costumamos até exagerar as nossas dores. Trazemos pesado e medido o sofrimento, e diante de Deus, nas orações, queremos ser atendidos e não admitimos delongas. São de São João Crisóstomo estas palavras:

“Sois muito exatos em contar os sofrimentos. E o sois, porventura, em contar os pecados que os provocam? Pensais, tão só, nos pecados que cometeis durante um dia, sem contar os inumeráveis pecados de toda a vida, que não quereis conhecer. E vereis quanta injustiça, quanta ofensa a Deus vos hão de chegar à memória!”

Continue reading

Como alcançar este segundo grau de Pureza da Alma

Águia

Capítulo VIII

Para isso é necessário formar uma ideia viva e a mais perfeita possível do mal imenso que traz o pecado, a fim de que o coração se compunja e desperte em si uma contrição veemente e profunda. Uma contrição, por mais tênue que seja, mas verdadeira, é bastante para alijar da alma o pecado, máxime se for unida a virtude dos sacramentos; mas, se é penetrante e veemente, então pode purificar o coração também de todas as más inclinações que provem do pecado. Considera os seguintes exemplos: Se odiamos alguém pouco profundamente, aborrecemo-nos simplesmente de sua presença e o evitamos; mas, se o nosso ódio é violento e de morte, não nos limitamos a esta repugnância interior e a esta fugida: o rancor que lhe guardamos estende-se também as pessoas de sua casa, a seus parentes e amigos, cuja convivência nos é insuportável. Continue reading

Em seguida é necessário Purificar a Alma de toda a Afeição ao Pecado

"Há muitos penitentes que efetivamente saem do pecado, porém não lhe perdem o afeto; (...) a semelhança da mulher de Ló, que virou a cabeça para Sodoma"

Capítulo VII

Todos os israelitas saíram do Egito, mas muitos deixaram lá o seu coração preso; por isso é que no deserto se lhes despertaram desejos das cebolas e viandas do Egito. Assim também há muitos penitentes que efetivamente saem do pecado, porém não lhe perdem o afeto; quero dizer: eles se propõem não recair no pecado, mas com uma certa relutância e pesar de abster-se de seus deleites. O coração os denuncia e afasta de si, mas sempre tende novamente para eles, a semelhança da mulher de Ló, que virou a cabeça para Sodoma. Privam-se do pecado, como os doentes dos melões; é verdade que não os comem com medo da morte, de que o médico os ameaçara; mas aborrecem-se da dieta, falam dela com aversão e não sabem o que fazer; ao menos, querem cheirá-los muitas vezes e tem por ditosos os que os podem comer. Continue reading

A Adúltera

Meditação para o Dia 18 de Novembro

1. Então os escribas e fariseus lhe trouxeram uma mulher apanhada em adultério“. Queriam que a julgasse, para poderem acusar. Que nova malícia contra o maior benfeitor! Jesus, que tudo sabia e que é supremo juiz, negou-se a julgar. Tu, que nada sabes e nada podes, és tão precipitado em julgar o teu próximo. Deus por acaso, te fez juiz dos outros? Continue reading

Jesus pagando Impostos

Meditação para o Dia 14 de Novembro

1. Chegaram-se a Pedro os que cobravam o tributo de duas dracmas e lhe disseram: Vosso Mestre não paga as duas dracmas? Respondeu: Sim“. Exigiram de Jesus o que Ele não estava obrigado a dar. Não fazes o mesmo quando pecas, seja grave, seja levemente? Exiges que Deus te conserve a liberdade de ação, o uso de teus membros e ainda que te perdoe e te satisfaça. Não é isto abusar de sua bondade?

Jesus quis pagar o que não precisava dar. Ai de ti, se Ele se limitasse a ser justo. Quanto já agradeceste à Sua misericórdia infinita? Continue reading

O Jovem de Naim

Meditação para o Dia 22 de Outubro

1. a) Eis que levavam um defunto à sepultura, filho único de sua mãe que já era viúva“. Quão inexorável é a morte! Arrebata da vida um jovem, apesar das lágrimas de sua mãe, de quem era o único consolo. Quem te assegura que a morte ainda te concederá mais algum tempo?

b) A Igreja chora a morte espiritual de seus filhos. Quanto não fez ela para evitar esta morte, e quanta ingratidão encontra! Já pertenceste também ao número dos filhos ingratos? Reparaste todo o mal causado? Continue reading

Morte duma Menina

Meditação para o Dia 30 de Setembro

1. Senhor, nesta hora acaba de expirar minha filha; mas vem, impõe tua mão sobre ela, e viverá“. A única filha de pais nobres e ricos teve de morrer na flor dos anos. Não confies jamais em juventude, robustez, saúde e recursos. A morte sempre te acompanha, e este ou outro dia, talvez já próximo, será teu último. Não será provável que seja o de hoje? Pode ser, mas não é impossível. Estás preparado para morrer? Aguardar-te-á, pelo menos, um longo purgatório? Que loucura, não fazer tudo para aplacar neste mundo a justiça de Deus e pagar as dívidas até ao último vintém, agora que custa pouco e que é meritório! Continue reading

A Cura do Paralítico

Meditação para o Dia 26 de Setembro

1. E eis que lhe apresentaram um paralítico prostrado num leito“. Tão triste como o estado do paralítico é o do pecador e do indiferente. Também este não tem uso das mãos e dos pés, porque nada faz para se salvar. O indiferente precisa, como o paralítico, de quatro que o guiem, levando-o a Jesus: deve refletir sobre seu triste estado, meditar a misericórdia de Deus, confiar nEle e amar sinceramente a seu Salvador. Quem se deixa levar por estes quatro guias, será salvo. Continue reading

O Inimigo Infernal

Meditação para o Dia 25 de Setembro

1. E logo que saltou em terra, veio ter com Ele um homem que estava possuído do demônio havia já muito tempo, e não vestia roupa alguma, nem habitava em casa, senão nos sepulcros“… “gritando e ferindo-se com pedras“. Assim é que o demônio trata os homens; mas, não obstante isso, sujeitam-se-lhe pelo pecado. O pecado despe a veste da inocência; prende a alma, vulnera-a; profana o sangue de Jesus, afronta a Deus e leva ao inferno. Quantas vezes, cego por uma paixão ou extremamente leviano, não preferiste todos estes males ao amor de teu Deus! Continue reading

Older posts

© 2018 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑