Meditação para o Dia 13 de Outubro

1. Quem te dera não teres necessidade de rezar:

“Perdoai-nos as nossas dívidas!”

Dívidas ingentes são teus pecados! Pecados esses, contados desde os primeiros dias do uso da razão! Quem lhes conhece o número? Pecados, cujo número não se diminuiu com o conhecimento da bondade de Deus. Pecados, cujo peso fez cair Jesus por terra no monte das Oliveiras e sair-lhe o sangue. E Jesus, que te manda pedir perdão de tão ingente dívida, também promete a remissão por meio de sincero arrependimento, acompanhado da exposição franca no tribunal da penitência. Como deves sentir ter ofendido a um Deus que nada de mal te fez!

2. Assim como nós perdoamos aos nossos devedores“. Guardas em teu coração algum rancor contra o próximo? Seria a tua própria condenação. Perdoa ao próximo como Deus perdoa a ti, isto é, perdoa logo, perdoa tudo, perdoa sem reserva, sendo depois amigo sincero. Dá o primeiro passo, quando for necessária alguma reconciliação, e assim terás duplo mérito e maior direito ao perdão de Deus. Quanto mais custa, tanto mais Deus te estima e te recompensa.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 301)