Tag: confissão (Page 1 of 3)

Do grande mal que fazem os que ocultam os Pecados na Confissão

Pro anima tua ne confundaris dicere verum —“Não te envergonhes de falar a verdade, quando se trata da tua alma” (Eclo 4, 24)

Sumário. O demônio, depois de obcecar tantas pobres ovelhas de Jesus Cristo, induzindo-as a pecar, faz como o lobo; apanha-as pelo pescoço, a fim de que não gritem por socorro, confessando-se sinceramente. E deste modo fazendo que cometam novo pecado, de ordinário mais grave que o primeiro, como é o sacrilégio, leva-as com segurança ao inferno. Oxalá que aquelas almas desgraçadas compreendessem o grande mal que causam a si mesmas, e o grande bem de que se privam pela maldita vergonha na confissão! Continue reading

Demora na conversão

Demora na conversão, Tesouros de Cornélio à Lápide

Necessidade de não adiar nossa conversão

É preciso converter-se, e converter-se logo. É preciso apressar nossa marcha, correr para nossa conversão, diz São João Crisóstomo: Cum opus est, et vehementi cursu (Homil. ad pop.). É preciso dispor-nos prontamente a seguir nossa viagem, porque o caminho é longo e a vida é curta. A vocação[1] de Deus insta-nos; há perigo no adiamento!

Não tardes em converter-te ao Senhor, não adies (a tua conversão) de um dia para o outro, diz o Eclesiástico: Non tardes converti ad Dominum, et ne differas de die in diem (Eclo 5, 8). Quem é aquele que, tendo apanhado uma víbora, não a solta imediatamente? Quem teria em sua casa um inimigo capital, um assassino? Quem aguentaria sustentar o fogo na mão? O pecado mortal é uma víbora, um assassino, um fogo devorador. Por conseguinte, assim que o sintamos em nosso coração, devemos expulsá-lo.

Santo Agostinho declara, com amargas lágrimas, o tempo que tardou em converter-se:

“Ó Formosura, sempre antiga e sempre nova, exclama ele, quanto tardei em vos amar!” (Lib. Confess.).

Por que, pergunta-nos o Senhor no Eclesiástico, por que vós vos atrasais? Vossas almas estão ardendo de sede? Qui adhuc retardatis? Animae vestrae sitiunt vehementer (Eclo 51, 32). Continue reading

Confissão

Confissão, Tesouros de Cornélio à Lápide

Divindade da Confissão

No dia da Ressurreição, Jesus Cristo apresentou-Se no meio de seus discípulos e disse-lhes: A paz esteja convosco! E repetiu-lhes: A paz esteja convosco! Assim como o Pai me enviou, assim Eu vos envio: Sicut missit me Pater, et ego mitto vos (Jo 20, 19-21). E, depois, que pronunciou estas palavras, soprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo; ficarão perdoados os pecados daqueles a quem vós os perdoardes; e ficarão retidos os de quem retiverdes: Haec cum dixisset, insuflavit, et dixit eis: Accipite Spiritum Sanctum; quórum remisseritis peccata, remittuntur eis; et quoum retinueritis, retenta sunt (Jo 20, 22-23).

Conta-nos São Marcos que Jesus Cristo disse a seus discípulos: Empenho- vos minha palavra que tudo o que atardes sobre a terra será atado no céu; e tudo o que desatares sobre a terra, será isso mesmo desatado nos céus: Amen dico vobis, quaecumque ligaveritis super terram, erunt ligata et in coelho, et quaecumque solveritis super terram, erunt soluta in coelo (Mc 17, 18).

Daqui infere-se que, para perdoar ou reter os pecados, para atar ou desatar as consciências, é necessário conhecer as faltas que foram cometidas. E como conhecê-las sem a Confissão? Continue reading

A Satisfação

Meditação para a Quinta-feira da Quarta Semana da Quaresma. A Satisfação

Meditação para a Quinta-feira da Quarta Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre a terceira parte do Sacramento da Penitência, a satisfação de obra, e veremos:

1.° A sua importância;

2.° A sua extensão;

3.° A maneira de a cumprirmos.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De cumprirmos a nossa penitência o mais cedo possível após a confissão, acompanhando-a
de um grande desejo de nos tornarmos melhores;

2.º De sofrermos de bom grado todas as tribulações que a Providência nos enviar, e de lhes juntar algumas mortificações voluntárias, por exemplo, nas nossas refeições, na nossa curiosidade ou desejo de ver, na busca das nossas comodidades.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do concílio de Trento:

“Toda a vida cristã deve ser uma perpetua penitência” – Tota vita christiana, perpetua debet esse paenitentia

Continue reading

A Confissão

Meditação para a Quarta-feira da Quarta Semana da Quaresma. A Confissão

Meditação para a Quarta-feira da Quarta Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre a confissão e veremos que ela deve ser:

1.° Humilde;

2.° Sincera;

3.º Inteira.

— Tomaremos depois a resolução de aplicar estas três condições a todas as nossas confissões; e conservaremos para ramalhete espiritual o conselho do Espírito Santo:

“Não te envergonhes de confessar os teus pecados” – Non confundaris confiteri peccata tua (Eclo 4, 31)

Continue reading

Do Ódio que Deus tem ao Pecado

Meditação para a Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma. Do Ódio que Deus tem ao Pecado

Meditação para a Quinta-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Meditaremos sobre o segundo motivo de contrição: é o sumo desagrado que causam a Deus:

1.º O pecado venial;

2.º O pecado mortal.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De evitarmos com grande cuidado os pecados veniais, pois que Deus tanto os abomina;

2.º De deplorarmos, todos os dias da nossa vida, os pecados mortais que tivemos a desgraça de cometer no passado.

Conservaremos como ramalhete espiritual a palavra do Salmista:

“O meu pecado diante de mim está sempre” – Peccatum meum contra me est semper (Sl 50, 5)

Continue reading

Da Ofensa que o Pecado faz a Deus

Meditação para a Quarta-feira da Terceira Semana da Quaresma. Da Ofensa que o Pecado faz a Deus

Meditação para a Quarta-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Como a contrição, para ser válida, deve fundar-se em motivos de fé, como vimos na nossa última oração, meditaremos sobre o primeiro destes motivos, e veremos:

1.° Quanto o pecado, considerado como ofensa de Deus, é um mal digno de todas as nossas lágrimas;

2.° Quanto mais horrendo ainda o tornam as circunstâncias em que o pecador o comete.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos penetrarmos bem deste grande motivo de contrição antes de nos apresentarmos no sagrado tribunal;

2.º De o recordarmos cada dia, de manhã e à tarde, para nos excitarmos ao horror do pecado.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do filho pródigo:

“Meu Pai, pequei contra o céu e diante de vós, já não sou digno de ser chamado vosso filho” – Pater, peccavi in caelum et corum te: jam non sum dignus vocari filius tuus (Lc 15, 18.19)

Continue reading

Contrição Suma e Sobrenatural

Meditação para a Terça-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Consideraremos, na nossa próxima oração, dois outros caracteres essenciais da contrição; e veremos que ela deve ser:

1.º Suma;

2.° Sobrenatural.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De despertarmos na nossa alma a fé nestas duas verdades, e de conservarmos em nós o sentimento habitual delas;

2.° De fazermos atos de fé mais decisivos, todas as tardes, no nosso exame de consciência e cada vez que nos confessarmos.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“Eu aborreci e abominei a iniquidade” – Iniquitatem odio habui, et abominatus sum (Sl 128, 163)

Continue reading

Contrição Interior e Universal

Meditação para a Segunda-feira da Terceira Semana da Quaresma

SUMARIO

Prosseguiremos as nossas meditações sobre o Sacramento da Penitência, interrompidas pelos Evangelhos, tão cheios de interesse, que temos meditado, e veremos que devemos ter nas nossas confissões:

1.° Uma contrição verdadeiramente interior;

2.° Uma contrição verdadeiramente universal.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos todas as tardes, em seguida ao nosso exame de consciência, um ato de contrição interior e universal;

2.° De fazermos, de dia ou de noite, a cada pecado que cometamos, um ato de contrição interior.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmo:

“Sacrifício para Deus é o espírito atribulado; ao coração contrito não o desprezareis, ó Deus” – Sacrificium Deo spiritus contribulatus: cor contritum… Deus, non despicies (Sl 1, 19)

Continue reading

O Exame Particular de Consciência

Meditação para o Sábado da Primeira Semana da Quaresma. O Exame Particular de Consciência

Meditação para a Sábado da Septuagésima

SUMARIO

Meditaremos:

1.° Na natureza e importância do exame particular de consciência;

2.° Na maneira de o fazer

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De cumprirmos fielmente daqui em diante este exercício;

2.° De o fazermos consoante as regras dos mestres da vida espiritual.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Jeremias:

“Constitui-te para arrancares e destruíres, para edificares e plantares” – Constitui te… ut evellas, et destruas… aedifices, et plantes (Jr 1, 10)

Continue reading

« Older posts

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑