Meditação para o Dia 09 de Julho

1. Ainda que não haja coisa mais natural do que amarem-se todos a si mesmos, contudo são poucos os que verdadeiramente se amam; pois, como quer bem a si aquele que aos bens eternos prefere os da terra? Como ama sua alma o desonesto, o usuário, o avarento, o maldizente, o egoísta? Os bens do mundo passam; nada, absolutamente nada poderás levar contigo à eternidade. Continuarás, pois, a apreciar, a aspirar excessivamente, o que poderá agenciar-te males eternos? Ouve a voz de Deus:

“Quem ama a iniquidade, aborrece a sua alma”


2. Se te amares verdadeiramente, reputarás por grandes bens o que o mundo tem por males: a cruz de Cristo, trabalhos feitos por Ele, injustiças sofridas por seu santo Nome. Abre os lhos da alma, da fé, para não trocares os nomes das coisas, chamando bens o que são males e amando o que deves repelir. Se duro te parece carregar a cruz do Salvador, lembra-te que é mais duro ouvir a terrível sentença final que afastará para sempre de Deus e de seus escolhidos, e que, em vez do eterno repouso, dará penas e remorsos sem fim.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 205)