Meditação para o Dia 10 de Março

O meu carrasco de cada momento, tirano que não me dá sossego, é meu amor-próprio. Não somos felizes, porque não somos livres. Andamos presos, acorrentados aos caprichos do nosso eu, despótico, cruel inimigo de Deus, inimigo de nossa salvação.

“A vontade própria – diz Santo Afonso – é a ruína das virtudes, a fonte de todos os males, a única porta do pecado e da imperfeição, arma favorita do tentador contra os religiosos, o carrasco de seus escravos, um inferno antecipado.”

A paz vem da obediência, porque a obediência é a Vontade de Deus, a Vontade de Deus é o Amor e só o Amor Divino enche e pacifica o nosso coração. O Demônio persegue a obediência e com furor, porque só ela basta para a perfeição de uma alma. E o Diabo se reveste de nossa vontade própria e nos tiraniza. Por que sofrem tantas almas consagradas a Deus? O carrasco não as deixa em paz! A obediência custa, exige sacrifícios, imolações e até martírios. O carrasco protesta e obriga a sua vítima à revolta. É uma escravidão penosa! Justo castigo do Céu para quem renega o leve jugo de Nosso Senhor, que é o jugo suave da obediência. Que doce alívio a obediência traz! Obedecer com simplicidade, como uma criancinha, que doce paraíso! A consciência tranquila dirá, talvez no meio de duros sacrifícios:

“Obedeço, faço a vontade de Deus. Meu sacrifício a fazer é este. Deus o exige. Bendito seja Deus!”

E o carrasco, humilhado, foge! Não quereis humilhar um pouco o vosso carrasco, já que é quase impossível matá-lo?

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 81)