Edifício espiritual, Tesouros de Cornélio à Lápide

Materiais com que se constrói o edifício espiritual

O edifício espiritual da alma é a prática das virtudes levada à perfeição. Uma casa grande e formosa não se pode edificar senão pouco a pouco, e à força de muitos trabalhos; é necessário que haja ordem e variedade; é necessário empregar nela diversos instrumentos e madeiras várias; assim também constrói-se por meio de diversas virtudes, exigindo-se trabalhos largos e gloriosos, uma constância invencível e outras virtudes.

A longanimidade pode representar a longitude do edifício; a caridade sua largura, a esperança sua altura. Os quatro muros são as quatro virtudes cardeais: a prudência, a justiça, a fortaleza, a temperança.

A humildade e a fé são seu fundamento e base; a paciência seu teto; os bons desejos suas vantagens; a observação dos Mandamentos sua porta, e o temor de Deus o porteiro; os Anjos são seus guardiões; a contemplação é sua sacada; a oração forma suas muralhas, e o cão que está de vigia noite e dia, é a vigilância; a alma é sua dona, e todas as virtudes são seus quartos e salas. O esposo é a vontade, a esposa é a modéstia; a família compõe-se das boas obras; os serventes são os sentidos que obedecem à alma; a mesa é a Sagrada Escritura; o pão, a Eucaristia, o fogo, o Espírito Santo; o ar, o bom exemplo; o óleo, a misericórdia e a mansidão; o leito, a tranquilidade da consciência; os remédios, os Sacramentos; os médicos, os Sacerdotes; os hóspedes, o Pai, o Filho, o Espírito Santo, a Virgem Santíssima e os Anjos da Guarda.

Em que terreno há de construir-se o edifício espiritual

O sábio edifica sobre um terreno sólido. Jesus Cristo é a pedra angular, o cimento do edifico espiritual; é sua base inquebrantável.

O homem prudente, disse Jesus Cristo, fundou sua casa sobre a pedra, e caíram as chuvas, e transbordaram os rios, e sopraram os ventos, e deram com ímpeto contra aquela casa; mas não foi destruída, porque estava cimentada sobre a rocha: Et descendit pluvial, et venerunt flumina, et flaverunt venti, et irruerunt in domun illam; et non cecedit, fundata enim erat superpetram (Mt 7, 25).

Sobre pedra construiu-se também a Igreja de Jesus Cristo; e, por isso, as portas do Inferno não prevalecerão jamais contra ela: Super hanc petram aedificabo Ecclesiam meam; et portae inferi non prevalebunt adversus eam (Mt 16, 18). É inquebrantável como seu divino alicerce.

O insensato, diz Jesus Cristo, fabricou sua casa sobre a areia; caíram chuvas, e os rios saíram do leito, e sopraram os ventos, e deram com ímpeto sobre aquela casa, que veio a colapsar-se, e sua ruína foi grande: Et descendit pluvial, et venerunt flumina, et flaverunt venti, et irruerunt in domum illam, et cecidit, et fuit ruina illius magna (Mt 7, 27).

Tal é o terreno que elegem para edificar os hereges, os cismáticos e todos os pecadores cegos e endurecidos.

O homem fiel, unido por amor a Jesus Cristo e às suas Leis, é inquebrantável. Os golpes das perseguições, as ondas das paixões, o vento das lisonjas, das promessas e ameaças, as nuvens de calúnias, o trovão e o raio dos demônios ou dos malvados, as provas que chegam como tempestades, não o podem derrubar. É como um rochedo no meio dos mares. Vede os Apóstolos, vede os Mártires etc.

O bom cristão é a árvore de que nos fala a parábola que refloresce na medida em que é cortada e podada, e resiste às feridas do ferro, e desenvolve-se com mais louçania quando é ferida mais profundamente, e nunca é tão formosa quanto no dia em que a arrancam do todo.

O mal cristão edifica sua casa sobre a areia. Mas,

1.° A areia é movediça e sem consistência; e assim são os avarentos, os amigos do mundo etc.

2.° A areia é seca; da aridez tira seu nome (arena ab ariditate); e o pecador é também seco e estéril;

3.° O vento levanta e dispersa a areia; o vento abrasador das paixões devora aos voluptuosos, aos ímpios etc.; e

4.° As chuvas e as torrentes arrastam a areia; o demônio, o mundo e a carne arrastam aos pecadores e o insondável abismo dos vícios.

O insensato constrói sobre a areia, isto é, sobre a criatura, móvel, seca, estéril etc.

1.° A areia é a multidão que reconhece a Satanás por rei e está sem cessar, agitada, combatida.

2.° A chuva é a tentação;

3.° Os rios são a concupiscência e as más inclinações; e 4° os ventos são o Inferno.