Meditação para o Dia 17 de Novembro

No Céu tornaremos a ver os nossos mortos queridos e os reconheceremos. Que grande felicidade, depois de lhes havermos chorado tanto a ausência cruel de longos anos, amargurados pela saudade que só se extingue na sepultura! Que alegria, no fim da vida em tão bela companhia!

“Meu Deus – exclama São Francisco de Sales – se a boa amizade humana é tão agradavelmente amável, que não será ver a suavidade sagrada do amor recíproco dos bem-aventurados?”

No Céu nos veremos e nos amaremos verdadeiramente. Este pensamento suaviza muito a chaga aberta no coração, quando vemos partir alguém que muito amamos, para a vida eterna! Logo nos veremos de novo! Logo, sim, pois que a vida passa tão depressa! Não nos deixemos arrastar ao desespero. Não somos pagãos. O que além-túmulo nos espera, se formos fiéis a Deus e à sua santa lei, é a visão beatífica do Senhor e, nessa visão, que sacia plenamente, veremos também, à luz do Eterno Sol de nossas almas, os entes que nos precederam na morte. E nunca mais os perderemos, porque lá não haverá mais luto, nem pranto, nem tristeza, nem dor.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 344)