Meditação para o Dia 23 de Junho

“Ora, um daqueles ladrões, que estavam dependurados, blasfemava contra Ele,dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós. Mas o outro, respondendo o repreendia, dizendo: Nem ainda tu temes a Deus estando no mesmo suplício? E nós temos o castigo que merecem as nossas obras; mas este nenhum mal fez. E dizia a Jesus: Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino. E Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (1)

O Bom Ladrão é o mais tocante modelo das almas confiantes. Viu Jesus no patíbulo entre criminosos. Ouviu as acusações, os insultos e blasfêmias do povo. E, naquele homem desfigurado, ali na cruz, reconhece o Messias prometido, o Senhor que lhe pode abrir as portas do reino do Céu.

“Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino!”

Belo ato de confiança! Um criminoso, um infeliz salteador, um condenado e com justiça, por tantos crimes, tem confiança em Jesus e Lhe pede uma lembrança apenas, quando chegar ao Reino Eterno. E, como não é pequeno o mérito da confiança, responde Jesus ao ladrão:

“Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso!”

Dois pecadores no Calvário. Um é o Desespero que blasfema. O outro, a Confiança, a pedir Misericórdia. Gestas se perde. Dimas se salva. O Bom Ladrão é o grande, talvez o maior dos missionários da Confiança! Imitemo-lo!

Referências:
(1) São Lucas 23,39-43

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 190)