Meditação para o Dia 10 de Agosto

1. Um gênio pacífico concorre tanto para a própria paz como para a do próximo. Uma ofensa qualquer às vezes é suficiente para irritar-te e para te levar a pensamentos de desafeto e ódio, a palavras precipitadas, a atos de que depois terás de arrepender-te. Irritando-te, a ira começa a predominar no coração e a obscurecer a razão, causando muitos males, desalojando a virtude, que só pode existir em um coração pacífico, e fazendo entrarem as inimizades com suas consequências.

2. Vigia tanto mais, quanto és consciente de tua irritabilidade. Não venhas com a desculpa de teres gênio irascível, pois todo gênio pode ser dominado. Aprende a calar-te quando te sentes excitado, e perdoa sempre e tudo, imitando a mansidão de Jesus. Não dês a outrem ocasião de se zangar, ainda que às vezes tenhas de renunciar a um direito teu. Havendo uma desavença, procura terminá-la amigavelmente. A vontade séria pode conseguir muita coisa; não dá importância a ofensas, nem ouve a voz do egoísmo e do amor próprio, que falam em dignidade ultrajada. Imita o mais possível a Jesus, que, ultrajado, nunca se vingou, mas pagou com novos benefícios.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 237)