Meditação para o Dia 13 de Maio

1. Na cruz está agonizante, entre indizíveis tormentos, o Mártir divino. É teu Salvador, pois nasceu, viveu, ensinou, padeceu e morreu para te salvar. Outro, a não ser Ele, isto é, Deus, não podia apagar as manchas feias do pecado e curar as chagas terríveis que ele causou. A ofensa ao Infinito reclamava uma reparação infinita. O pecado é, pois, a causa da morte de Deus Filho. Em seus ombros carregou os pecados de todo o mundo, de todos os países, de todas os tempos. Talvez tivesse sentido os teus como muitos pesados e dolorosos. Os judeus eram os instrumentos culpados da justiça divina, mas tu e os demais pecadores a verdadeira causa. Vê quanto custou a Deus tua libertação!

2. Pecando, de certo modo renovas a paixão de Jesus. Se ainda te não tivesse salvado, teria de padecer e morrer agora para te salvar. Ousarás, pois, traí-Lo, arrastá-Lo, açoitá-Lo, feri-Lo com espinhos, crucificá-Lo, traspassar-Lhe o coração? Não digas: “Assim não o pretendo“, pois a realidade é que os pecados são os algozes de Jesus.

Se o sangue de Jesus não te curar, perder-te-á, aumentando tua responsabilidade. Darás ao demônio o prazer de pisar o sangue divino em tua alma condenada?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 148)