Os adoradores de Jesus Sacramentado

Adoração Eucarística

Gustate et videte, quoniam suavis est Dominus – “Provai e vede quão suave é o Senhor” (Sl 33, 9)

Sumário. Entre todas as devoções, a devoção de Jesus sacramentado é, sem dúvida, depois da recepção dos sacramentos, a primeira, a mais agradável a Deus e a mais proveitosa para nós. Por isso é que todos os santos ardiam de amor a esta dulcíssima devoção. Não te pese, pois, meu irmão, abraçá-la também, e abreviando tuas conversações com os homens, vai frequentemente entreter-te com Jesus e comunicar-lhe as tuas necessidades. Ganharás talvez mais, num quarto de hora de oração diante do Santíssimo Sacramento, que em todos os mais exercícios devotos do dia.

I. A fé ensina, e nós somos obrigados a crer, que na Hóstia consagrada está realmente Jesus Cristo, sob as espécies de pão. Mas devemos ao mesmo tempo estar persuadidos que Ele reside em nossos altares, como sobre um trono de amor e misericórdia, para dispensar as suas graças e mostrar-nos o amor que nos consagra. Quanto são, portanto, agradáveis ao Coração de Jesus os que o visitam frequentemente e se comprazem em fazer-Lhe companhia nas igrejas! Jesus Cristo ordenou a Santa Maria Madalena de Pazzi que o visitasse trinta e três vezes por dia. E esta esposa tão amada obedecia-Lhe fielmente, aproximando-se do altar o mais que podia.

Deixemos falar as almas devotas, que vão frequentes vezes entreter-se como o diviníssimo Sacramento e digam-nos os favores, as luzes, as chamas de amor que ali recebem e o paraíso de que gozam em presença do Deus eucarístico. O servo de Deus, Padre Luiz la Nuza, famoso missionário, desde jovem e secular, amava tão ardentemente Jesus Cristo, que parecia não poder afastar-se da presença de seu amado Senhor. Sentia ali tantos encantos que, tendo-lhe seu diretor proibido que ali passasse mais de uma hora, a violência que se devia fazer para obedecer e desprender-se de Jesus Cristo era tal, que parecia uma criança arrancada ao seio materno. São Luiz de Gonzaga tinha também recebido proibição de ficar diante do Santíssimo Sacramento; e, passando junto do tabernáculo e sentindo-se atraído a ficar, pelos suaves encantos de seu Senhor, violentava-se para se retirar e na ternura do seu amor exclamava: Recede a me, Domine, recede – “Afastai-Vos de mim, Senhor, afastai-Vos”. Era ali ainda que São Francisco Xavier encontrava o repouso após as grandes fadigas nas Índias: consagrava o dia ao bem das almas e a noite passava-a em oração perante o Santíssimo Sacramento. São Francisco de Assis, apenas sentia qualquer aflição, ia imediatamente comunicá-la a Jesus na santa Eucaristia. – Numa palavra, lê as vidas dos santos e verás que todos eram cheios de ardor por esta tão doce devoção, convencidos de que não é possível encontrar na terra tesouro mais amável do que Jesus na Eucaristia.

II. É incontestável que, entre todas devoções, a adoração de Jesus sacramentado é, depois da frequência dos sacramentos, a primeira, a mais agradável a Deus e a mais proveitosa para nós. Empenha-te, pois, alma piedosa, em abraçá-la, e desprendendo-te da conversação com os homens, vai passar doravante, todos os dias algum tempo, meia hora ou um quarto de hora pelo menos, em qualquer igreja na presença do Santíssimo Sacramento.

Saboreia e vê quão suave é o Senhor. Experimenta e verás o proveito que te resultará desta prática. Sabe que o tempo que passares diante do Santíssimo Sacramento será o que te alcançará mais vantagens durante a vida e mais consolações à hora da morte e na eternidade. Sabe ainda que ganharás talvez mais em um quarto de hora de oração perante a santa Eucaristia, do que em todos os outros exercícios do dia. – Onde é que as almas santas têm formado as suas mais generosas resoluções senão aos pés dos altares? Quem sabe se tu mesmo, um dia, perante o tabernáculo, não tomarás a resolução de te entregares inteiramente a Deus?

Ó majestade e bondade infinita! Vós tanto amais os homens e tendes feito tanto para que os homens Vos amem; como é então que entre os homens se encontrem tão poucos que Vos amam? Não quero mais ser do número daqueles ingratos, como tenho sido no passado. Resolvido estou a amar-Vos quanto possa, a não amar senão a Vós e a Vos provar o meu amor com as minhas frequentes visitas ao vosso Santíssimo Sacramento. Vós o mereceis e m’o recomendais com tão grande insistência! Quero contentar-Vos. Fazei, ó Senhor, que Vos contente plenamente; é o que Vos peço pelos merecimentos da vossa Paixão. Amo-Vos, meu Jesus, amo-Vos, bondade infinita. Sois Vós toda a minha riqueza, toda a minha delícia, todo o meu amor. – Ó Mãe do belo amor, Maria, ajudai-me a amar sempre e com todas as minhas forças o vosso Filho, e a fazê-Lo amado também pelos outros.

Voltar para o Índice de Meditações de Santo Afonso

(LIGÓRIO, Afonso Maria de. Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo III: Desde a Décima Segunda Semana depois de Pentecostes até o fim do ano eclesiástico. Friburgo: Herder & Cia, 1922, p. 51-53)

4 Comments

  1. Sirlene Canôas

    20 agosto, 2016 at 11:10

    Estou à procura de formação para grupo de adoradores e recebi este artigo. Obrigada. Se tiverem mais sobre o assunto, agradeço.

  2. Gabriel

    22 agosto, 2016 at 17:19

    Salve Maria!
    Olá minha irmã, a princípio, a respeito deste tema, contamos apenas com as meditações de Santo Afonso que às quintas-feiras são dedicadas ao Santíssimo Sacramento. Além disso, disponibilizei uma área com Orações Eucarísticas. Encontrei uma belíssima obra que se chama a Alma Eucarística, a qual pretendo adicionar em breve no site.

    Espero ter auxiliado com sua dúvida. No mais, agradeço por acompanhar o site Rumo à Santidade
    Fique com Deus e o amor de Maria

  3. Já há algum tempo que entro neste site. Hoje com possibilidade de mais algum tempo, percorri-o melhor e fiquei um pouco confusa. Encontrei aqui muitas indicações sobre a Missa Tridentina como seja usual nas vossas igrejas. Mas atualmente esta Missa não está em uso ou tem uso de pouca gente. Sou portuguesa e não conheço por cá a celebração desta Missa que afinal é a missa da minha infância e de que tenho imensas saudades. Tempos atrás havia uma em Fátima numa capela, mas não havia informação sobre ela e poucos sabiam. Esta Missa deixou de se realizar há bastante tempo.
    Fiquei agora surpreendida e bem impressionada com o que li sobre comportamento e formas de vestir, porque nada disto é normal nas igrejas que frequento. Mas ao mesmo tempo fiquei confusa por não saber bem com quem estou a tratar, pois os tempos atuais e as ideias contraditórias que andam por todo o lado às vezes dão certo receio. Poderão informar-me, por favor? Muito agradeço. Maria

  4. Gabriel

    13 setembro, 2017 at 11:34

    Salve Maria!
    Este zelo pela Santa Missa nos ensinadas pelos Santos e almas piedosas que encontramos neste Apostolado deve mover o católico a compreender o verdadeiro valor da Santa Missa e como pode aproveitar melhor as infinitas graças que recebemos por este meio que é o cume de nossa Fé Católica – o que implica, antes de tudo, na mudança do coração, seguida de uma mudança em seu comportamento e etc. Aqui no Brasil ainda há celebrações no Rito Tridentino, porém, não é a maioria; e também há, como tu relataste, esta indiferença e falta de zelo no como se comportar e participar da Santa Missa – isto é uma questão de Catequese, antes de tudo. Enfim, sejamos agradecidos a Deus pela graça de termos ciência destes ensinamentos e sejamos verdadeiras testemunhas de Nosso Senhor Jesus Cristo em qualquer lugar que estivermos! Fraterno abraço!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2017 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑