Tag: oração (page 1 of 11)

A Virtude da Oração

Mês de Novembro: A Virtude da Oração

Mês de Novembro

Breve introdução sobre a Oração e o Apóstolo Patrono

Jamais duvides que é só por meio da oração que podes alcançar a tua salvação e chegar à perfeição. Para vencer as tentações, praticar as virtudes e guardar perfeitamente os mandamentos da lei de Deus, precisas no momento decisivo de um especial auxílio da graça, o qual Deus te concede unicamente por meio da oração, e da oração perseverante. Especialmente no tempo da tentação deves recorrer a Deus, pedindo-Lhe seu auxílio, ao menos pela invocação dos santíssimos nomes de Jesus e Maria.

Antes de rezar prepara teu corarão. Pondera que vais falar com Deus para obter sua misericórdia; que os anjos olham para ti com turíbulos de ouro nas mãos e estão prontos a oferecer a Deus tua oração como um agradável incenso. Esforça-te, por isso, para rezar não só com os lábios, mas também com o coração, pois, contrariamente, em vez de obteres graças, só provocarias a ira de Deus contra ti. Procura rezar com especial devoção aquelas orações que mais se repelem, como o Pai-Nosso, a Ave-Maria e o Glória ao Pai. Dedica-te com grande zelo à prática das jaculatórias que não estão ligadas a lugar algum, nem a nenhum tempo.

Faze tuas orações com humildes sentimentos e com uma firme, constante e inabalável confiança. Se te parecer que Deus não quer te atender, continua a rezar e a confiar apesar disso, porque é certo que Deus ouve a todos que Lhe suplicam com confiança e perseverança.
Alimenta também um amor especial pela oração mental e consagra-lhe cotidianamente tanto tempo quanto te for possível. Liga toda a importância aos atos da vontade: faze atos de humildade, de confiança, de abnegação própria, de arrependimento e principalmente de amor. Não permitas que teus pensamentos vaguem a seu bel-prazer, mas, se involuntariamente sofreres distrações, não te inquietes por isso, não deixes a oração.

Igualmente não deves abandonar a oração por causa da aridez espiritual, ainda que ela dure toda a tua vida. Humilha-te então e dize, cheio de resignação na vontade de Deus:

Senhor, estou plenamente resignado com me privares das Vossas consolações, não as mereço e não as reclamo. Basta-me saber que não repelis uma alma que Vos ama. Estou satisfeito com tudo se puder dizer, em toda a verdade: Ó Deus, eu vos amo e quero amar-Vos sempre.

Sumário
I. A sua natureza
II. Da Oração Vocal. Excelência da Oração Vocal. Seus Requisitos
III. Das fórmulas mais usuais da Oração Vocal
IV. Das Orações Jaculatórias
V. Da Oração Mental. Necessidade da Oração Mental para alcançarmos a Salvação
VI. Da importância da Oração Mental para alcançarmos a Perfeição
VII. Dos diversos fins da Oração Mental
VIII. Dos assuntos principais de Meditação. Lugar e Tempo da mesma
IX. Método para fazer a Meditação
X. Das Provações da Oração Mental
XI. A oração e o Redentor
XII. A Prática do Recolhimento e do Silêncio
XIII. Orações para alcançar a Virtude do Mês

Mês de Novembro: A Virtude da Oração. Apóstolo Patrono: São Judas Tadeu
Continue reading

Práticas do exercício da Presença de Deus

Meditação para a Vigésima Segunda-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre três práticas da presença de Deus, que são:

1.° Comprazermo-nos nesta divina presença;

2.° Obrarmos sempre com o fim de agradar a Deus;

3.° Falarmos a Deus com frequentes orações jaculatórias.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De sermos fieis a estas três práticas;

2.° De desviarmos muitas vezes o nosso pensamento das criaturas para o elevar a Deus.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra da Santíssima Virgem:

“O meu Espírito se alegrou por extremo em Deus meu salvador” – Exultavit spiritus meus in Deo salutari meo (Lc 1, 47)

Continue reading

O Rosário e Ação Católica

Meditação para 15 de Outubro: O Rosário e Ação Católica
A Cruzada Nova

A Ação Católica foi definida pelo imortal Pio XI, uma grande batalha, uma santa batalha pela religião (Encíclica Ubi Arcano Dei).

É de ordem sobrenatural, visa acima de tudo o supremo interesse — a salvação das almas. Chegamos aos tristes dias de um neopaganismo. Massas paganizadas e sem fé, sepultadas nas trevas da ignorância religiosa. Messe grande e poucos operários. Poucos sacerdotes e meios impenetráveis à ação sacerdotal. A Igreja inspirada pelo Espírito Santo, como outrora para defesa do santo sepulcro, convoca seus filhos para uma nova cruzada, a cruzada santa e absolutamente urgente para libertar mais do que o sepulcro de Cristo, as almas remidas pelo sangue do Redentor Divino e no sepulcro horrendo das trevas do neopaganismo e da apostasia da fé. Continue reading

O Rosário e a Família

Meditação para 14 de Outubro: O Rosário e a Família
A Oração da Família

O Rosário é a oração da família. Recorda os mais tocantes exemplos da Família santa de Nazaré. Leão XIII o recomenda às famílias na Encíclica Fidentem piumque de 20 de Setembro de 1896:

“É preciso conservar ou estabelecer o costume piedoso que vigorava entre os nossos antepassados. Nas famílias cristãs tanto nas da cidade como nas do campo era costume sagrado, ao cair da tarde, quando todos deixavam o duro trabalho, reunirem-se diante da imagem da Virgem para Lhe dirigir em louvores alternados a prece do Rosário. E Ela, a Virgem Maria, por esta homenagem fiel e unânime que Lhe prestavam, lá estava no meio deles como uma boa Mãe cercada de uma coroa de filhos. E lhes concedia os benefícios da paz doméstica, presságio da paz celestial”

Sim, é mister restaurar onde já existe o costume piedoso do Terço em família. Era a vontade de Leão XIII que em nenhuma família cristã faltasse esse hábito salutar. Continue reading

Os fins do Rosário

Meditação para 04 de Outubro: Os fins do Rosário

Obter o Socorro Divino

O Rosário, segundo o espírito de São Domingos e pelo desejo de Nossa Senhora, tem um duplo fim: — obter do céu a proteção e a graça por Maria, e, formar as almas na escola das virtudes que é a contemplação dos mistérios.

É um brado de socorro ao céu e uma escola de virtudes. O primeiro movimento, diz Leão XIII, a atitude tradicional dos católicos nos perigos, e nas circunstâncias difíceis, foi sempre recorrer à Maria e se entregar em paz à sua maternal bondade. Esta piedade profunda e confiante na Rainha do céu, resplandece ainda mais quando se propaga o veneno das heresias, ou campeia a imoralidade, e os inimigos da fé parecem fazer periclitar a Igreja militante do Senhor.

A história antiga, a história moderna, a história eclesiástica, relatam os votos, as orações públicas, e particulares, dirigidos à Mãe de Deus, e os socorros alcançados pela sua intercessão. A paz e a tranquilidade públicas, que Ela obteve do céu. Daí tantos e belos títulos com que A saúdam as nações cristãs: — Nossa Senhora Auxiliadora, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora da Consolação, Nossa Senhora dos Exércitos, Nossa Senhora da Paz! Entre estes títulos, porém, diz Leão XIII, enfim, há um que se impõe e que consagra e imortaliza os insignes benefícios de Maria à cristandade — é o de Rainha do Santíssimo Rosário (1).

Continue reading

Das distrações e faltas de fervor na Oração

Meditação para a Oitava Quarta-feira depois de Pentecostes. Das distrações e faltas de fervor na Oração

Meditação para a Oitava Quarta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre os dois principais obstáculos que se oferecem na oração:

1.° As distrações;

2.° As faltas de fervor, as desconsolações de espírito, a tibieza.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De ter uma vida mais contemplativa e isolada, que é o meio de estancar a fonte da maior parte das nossas distrações;

2.° De nunca desanimarmos, no estado de inaptidão em que nos acharmos, de orar, mas de nos conservarmos humilhados diante de Deus, admirando a sua bondade, que nos tolera e ama, apesar das nossas misérias.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Davi:

“Em terra deserta e sem caminho e sem água, me apresentei a vós, meu Deus” – In terra deserta, et invia, et inaquosa: sic sancto apparui tibi (Sl 62, 3)

Continue reading

Método de Oração

Meditação para a Oitava Terça-feira depois de Pentecostes. Método de Oração

Meditação para a Oitava Terça-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre o método de orar, e veremos que ele consiste:

1.° Em nos penetrarmos bem do objeto da oração;

2.° Em examinarmos a nossa consciência sobre este objeto, e com um ato de contrição renunciamos aos defeitos que este exame nos descobrir;

3.° Em implorarmos a graça de Deus para bem cumprir o firme propósito incluído no ato de contrição.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De seguirmos nas nossas meditações este método tão simples;

2.° De nos lembrarmos muitas vezes no dia dos bons sentimentos e resoluções da oração.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Davi:

“Os meus olhos estão sempre elevados para o Senhor” – Oculi mei semper ad Dominum (Sl 24, 13)

Continue reading

Excelência da Oração e Preparação

Meditação para a Oitava Segunda-feira depois de Pentecostes. Excelência da Oração e Preparação

Meditação para a Oitavo Segunda-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre o exercício da oração, como devendo ser, depois do levantar da cama, sobre que meditamos sábado passado, a primeira coisa que façamos no dia; e veremos:

1.º A sua excelência;

2.º Como devemos preparar-nos para ela.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De nunca omitirmos a nossa oração, e para isto de a fazermos logo depois do levantar da cama, porque retardá-la equivale muitas vezes a omiti-la;

2.º De nos prepararmos para ela com uma vida contemplativa, e principalmente com a determinação do objeto da nossa oração na véspera à tarde.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Davi:

“Se a vossa lei não houvera sido a minha meditação: então de certo houvera eu perecido” – Nisi quod lex tua meditatio mea est, tunc forte periissem (Sl 118, 92)

Continue reading

Jesus reza por nós na Missa

Jesus reza por nós na Missa

Capítulo III

Diz São João, o discípulo amado, que:

«Temos por advogado para com o Pai a Jesus Cristo, o Justo por excelência. E Ele mesmo é a Vítima de propiciação pelos nossos pecados»

Preciosa garantia da nossa salvação é esta de termos o filho de Deus, o próprio assessor do Pai, a intervir a nosso favor e a patrocinar a nossa causa.

Mas onde e quando é que Nosso Senhor desempenha esta função? Ensina a Igreja, que não é apenas no Céu, mas também na terra.

«Cada vez que se oferece o Santo Sacrifício, diz o sábio Suarez, Nosso Senhor reza por aquele que o oferece e por aqueles por intenção de quem é oferecido»

Primeiro que tudo reza pelo Padre, pelos assistentes e por todos aqueles que o Padre e os assistentes têm em vista.

«Cristo sacrificado chama por Seu Pai e mostra-Lhe as Suas sagradas chagas a fim de comover o Seu coração e nos livrar das penas eternas»

Continue reading

A Missa, culto de Oração

Meditação para a Terceira Sexta-feira depois de Pentecostes. A Missa, culto de Oração

Meditação para a Terceira Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Consideraremos a Missa como um sacrifício impetratório, isto é, um sacrifício de oração ou petição; e veremos, que efetivamente a Missa é:

1.° A mais excelente das orações;

2.° Uma oração, que pode tudo sobre o coração de Deus.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos melhor as nossas orações costumadas;

2.° De pedirmos muitas vezes a Deus o espírito de oração.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do divino Mestre:

“Se vós pedirdes a meu Pai alguma coisa em meu nome, Ele vo-lo há de dar” – Si quid petieritis Patrem in nomine meo, dabit vobis (Jo 16, 23)

Continue reading

« Older posts

© 2019 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑