Meditação para o Dia 14 de Abril

Conta-se, na vida prodigiosa de Santa Catarina de Racconigi, da Ordem Terceira de São Domingos, morta em 1547, que a Santa vira Nosso Senhor de tal modo crucificado, que um braço estava mais longo do que o outro. Jesus lhe disse então que o braço mais curto representava a Sua Justiça e o mais longo a Sua Misericórdia.

“Eles são iguais, minha filha, disse o Crucificado – mas neste século corrompido, a misericórdia se estende mais do que a justiça”

Sim, vivemos no tempo da misericórdia. Quanto maior é a ingratidão dos homens, maior é a Misericórdia Divina. Nosso Senhor quer vencer-nos nesta batalha terrível da nossa maldade contra a Sua bondade, da nossa miséria contra a Sua misericórdia. Ah! Não desça sobre nós o braço terrível da Justiça Divina! Quem poderia subsistir ante o rigor dessa Justiça Eterna? Desça, sim, o braço da Misericórdia. Ele é bem longo, alcança a terra, chega até as profundezas do abismo insondável de nossa miséria.

Mais ainda do que no século de Santa Catarina de Racconigi, o Vosso braço de Misericórdia, ó Jesus, deve socorrer-nos e sustentar. Mistério de Amor! Quanto maior é o pecado dos homens, quanto mais Vos fere a nossa ingratidão, tanto mais nos amais e nos cumulais dos tesouros de Vossas misericórdias!

Braço Divino da misericórdia, descei sobre nós!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 117)