Meditação para o Dia 04 de Maio

Nossa Senhora é sempre mãe solícita e carinhosa. Vede nas bodas de Caná. Faltou vinho. Os noivos ficariam confusos e envergonhados com a situação. Não era chegada a hora de Jesus. Sabia-o Nossa Senhora, mas não se pôde conter na bondade do seu coração materno. Volta-se para o Filho:

“Vinum non habent!” – “Não há mais vinho!”

Não obstante a resposta de Jesus, de que ainda não havia chegado a Sua hora, Ela dá ordem aos criados:

“Quodcumque dixerit vobis facite” – “Fazei o que Ele vos ordenar”

E o milagre se realiza. Em toda situação angustiosa de nossa vida, vamos à Maria. Seremos atendidos.

“Lembrai-vos – diz São Bernardo – que nunca se ouviu dizer que alguém jamais recorreu à Vossa proteção e foi por Vós desamparado”

Falta, no banquete de nossa vida, o vinho do Divino Amor, do abandono, da confiança, da paciência nas tribulações? Vamos a Nossa Senhora. Não seremos confundidos. Ela pedirá a Jesus que faça de novo o prodígio das bodas de Caná. E, voltando-se para as criaturas que nos rodeiam e de que a Providência se utiliza para nossa santificação, há de dizer-lhes:

“Fazei o que Ele vos ordenar”

Elas talvez nos firam e nos façam sofrer bastante, mas… Paciência! Enchem-se de água das tribulações as hidras de pedra de nosso coração. Jesus fará o milagre de transformá-las no vinho generoso e bom do Seu Divino Amor!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 139)