Meditação para o Dia 17 de Março

O corpo é exigente e insaciável. O cristão deve tratá-Io como escravo e não como senhor. Sob pretexto de saúde, muita gente se sujeita aos caprichos despóticos da carne. Usando de uma expressão franciscana – havemos de tratar o nosso jumentinho com prudência. Nem o sacrificar a ponto de não poder trabalhar, nem lhe dar tudo quanto exige e deixá-lo indômito e perigoso. A fórmula de Santa Gema Galgani diz tudo:

“A alma primeiro, o corpo depois…”

Há muito exagero de cuidados com a saúde corporal, com prejuízo da alma!

“Temei – dizia Santo Afonso – que, tomando muito a peito o cuidado com vossa saúde corporal, ponhais em perigo a saúde de vossa alma, ao menos, a obra da vossa santificação. Pensai que, se os santos tivessem, como vós, tanto cuidado com a saúde, nunca se teriam santificado” (1)

Santa Teresa, falando às suas filhas sobre o exagero da preocupação com a saúde, dizia:

“Desde que me trato com menos cuidado e delicadeza, passo muito melhor”

E assim é. O corpo bem tratado, tratado com extrema delicadeza, vai-se tornando cada vez mais exigente, com sério prejuízo para a vida espiritual. Desde que dele nos despreocupamos, abrandam-se seus ardentes desejos. Prega Nosso Senhor que, em caso de necessidade, deve-se perder o corpo para se salvar a alma. A carne mortificada acha a paz, vindo todo o nosso desassossego de não estabelecermos em nós esta ordem: “a alma primeiro, o corpo depois”.

Referência
(1) Santo Afonso A verdadeira esposa de Jesus Cristo, c. VIII.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 88)