Calvário, Tesouros de Cornélio à Lápide

Segundo São Jerônimo, Adão foi sepultado no Calvário, no mesmo lugar em que foi crucificado Jesus Cristo. Deste fato, fazem derivar o nome do Calvário que tem a montanha da crucificação, nome devido a cabeça de Adão ali enterrada. Costumam dar essa mesma razão para explicar o costume dos pintores de colocar uma cabeça ao pé da cruz de Jesus Cristo[1].

Orígenes, Epifânio, Santo Atanásio, São Cipriano, Santo Ambrósio etc. participam também da opinião que Adão foi sepultado no Calvário.

Ali também, segundo a opinião de São Jerônimo, onde teve lugar o sacrifício de Abraão. Isto é o que diz Santo Agostinho sobre o particular (De Civ. Dei, c. XXXII): o sacerdote Jerônimo escreveu que havia tomado conhecimento de uma maneira certa que Isaac havia sido sacrificado no Calvário, que ali mesmo havia sido sepultado Adão, sendo também o lugar conde foi crucificado Jesus Cristo.

Isaías, vislumbrando os benefícios que a morte de Jesus Cristo, faria derivar do Calvário, exclamou: O Deus dos Exércitos preparará sobre esta montanha, para todas as nações, um banquete, no qual se servirão toda classe de manjares e vinhos, os mais deliciosos: Et fecit Dominus exercituum omnibus populis in monte hoc convivium pinguium, convivium vindemiae, pinguium medullatorum, vindemiae defaecatae (Is 25, 6).

Sobre esta montanha, Deus romperá as cadeias que tinham aprisionados a todos os povos, bem como as redes estendidas contra todas as nações: Praecipitabit in monte isto faciem vinculi colligati super omnes populos, et telam quam orditus est super omnes mationes (Is 25, 7). O Senhor Deus destruirá ali, para sempre, o império da morte; ali, secará as lágrimas de todos aqueles que choram, e a terra não verá mais o opróbrio de seu povo: Paecipitabit mortem in sempiternum; et auferet Dominus Deus lacrymam ab omni facie, et opprobrium Populi sui auferet de universa terra (Is 25, 8). Dir-se-á, naquele dia: Verdadeiramente que este é nosso Deus; Nele temos esperado, e Ele nos salvará. Este é o Senhor. Mantivemo-nos na esperança, e agora nos regozijaremos; e na saúde que vem Dele exultaremos: Et dicet in die illa: Ecce Deus, noster iste, expectabimus eum, et salvabit nos; iste Dominus, sustinuimus eum, exultabimus et laetabimur in salutar ejus (Is 25, 9). O poder do Senhor repousará sobre esta montanha (Is 25, 10).


Referências:

[1] Esta cabeça pode também ser vista como o símbolo da vitória que Jesus Cristo conseguiu sobre a morte (Nota do tradutor espanhol).