Meditação para o Dia 15 de Agosto

Segundo a Imitação de Cristo, Cap. XII vs. 11 – L. II

Quando chegares ao estado em que a aflição te seja suave e gostosa por amor de Jesus Cristo, dá-te então por feliz, porque achaste o paraíso na terra. Mas, enquanto o padecer te for molesto e buscares evitá-la, crê que te vai mal, e onde quer que fores, contigo irá a tribulação. Se te resolveres, como deves, a sofrer e morrer, logo te irá melhor e acharás a paz. E, ainda quando fosses arrebatado, como São Paulo, ao terceiro Céu, nem por isso estarias isento de padecer. “Eu lhe mostrarei – diz Jesus – quando convém que ele sofra por meu nome”. Não te resta, pois, senão sofrer, se estás resolvido a amar e servir perpetuamente a Jesus. Prouvera a Deus que fosses digno de padecer alguma coisa pelo nome de Jesus! Que glória para ti! Que alegria para os santos de Deus! Que edificação para o próximo! Todos recomendam a paciência, ainda que poucos queiram exercitá-la. Não deverias com razão padecer males por amor de Jesus Cristo, quando tantos padecem males incomensuravelmente maiores por amor do mundo? Sabe e tem por certo que tua vida deve ser uma contínua morte e quanto mais morre cada um para si mesmo, tanto mais começa a viver para Deus. Só é capaz de contemplar as coisas celestiais o que se resolve a sofrer adversidades por Cristo! E, se te dessem a escolher, antes deverias desejar padecer trabalhos por amor de Jesus Cristo que ser recreado com muitas consolações, porque assim serias conforme ao Salvador e mais semelhante a todos os santos. Não consiste, pois, nosso merecimento e a perfeição de nosso estado nas muitas suavidades e consolações, mais sim no sofrimento dos males e tribulações. Se houvera um estado mais favorável à salvação dos homens que o da cruz, Jesus Cristo sem dúvida no-lo teria ensinado de palavra e com o exemplo. Pois claramente exorta a seus discípulos e a todos os que desejam segui-lO a que levem sua cruz, dizendo: “Se alguém quiser vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e Me siga”. Lidas e examinadas todas estas coisas, seja esta a conclusão final: É mister passar por muitas tribulações para entrar no reino de Deus.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 246)