Meditação para o Dia 05 de Outubro

Só o Pão dos Anjos nos sustenta e nos dá força quando nos chega o pão da dor. A Eucaristia e a cruz vivem unidas. A Eucaristia é o sacramento do amor e sem a cruz não se vive no amor. Não se ama sem sofrer. Ninguém precisa tanto da comunhão como o que padece. Dizia uma santa carmelita que a comunhão de tudo consola o penitente. Na primitiva Igreja, os primeiros cristãos comungavam cotidianamente nas catacumbas e, com o sorriso nos lábios, ofereciam generosamente a Deus todo sacrifício, todas as dores, o próprio sangue. A Eucaristia lembra-nos o Grande Sacrifício do Calvário e nos fala com eloquência da cruz, do sofrimento. É tão suave padecer, e até morrer, com Jesus no coração, como São Tarcísio! Quando nos sentirmos abatidos com o pobre coração ferido, dilacerado, nos embates da vida, precisados de conforto, consolação e alívio, procuremos a santa Eucaristia. No Altar, no Sacrário, na Santa Mesa, encontraremos o Mestre, o Amigo, o Pai, o Irmão, que enxugará nossas lágrimas e nos ajudará a levar a cruz. Oh! Se tivéssemos bastante fé, sempre que nos atormentasse o sofrimento, que nos ferisse qualquer golpe, haveríamos de desoprimir-nos no Calvário, saberíamos ocultar as nossas dores, com toda a generosidade, na chaga do Coração Eucarístico de Jesus. A Eucaristia e a dor são asas do Amor Divino, com as quais voaremos, como as águias, sobre o vale triste das amarguras da vida, até poder fitar, sem receio, o eterno e esplendoroso Sol do Amor!Dai-me, Senhor, o Vosso PÃO DOS ANJOS, e com ele podeis enviar-me o PÃO DA DOR!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 300)