Meditação para o Dia 25 de Setembro

O amor é tudo na vida da infância. A confiança também. Teresa leva-nos à pátria das virtudes pelo amor e não, ao invés, ao amor pela prática das virtudes. Escrevia Ela à sua prima Maria Guerin:

“Desejais saber como chegar à perfeição? Só conheço um meio: o amor” (1)

Segundo comenta o autor de O Espírito de Santa Teresinha, essa resposta lembra a réplica de São Francisco de Sales ao seguinte conceito de certa religiosa:

“Quero adquirir o amor pela humildade”

Replicou o Santo:

“Pois eu quero adquirir a humildade pelo amor”

O amor é um incentivo poderoso e eficaz para a virtude. Ele suaviza a aspereza dos trabalhos e torna doce todo sacrifício no caminho da perfeição. Na via da infância, Teresinha nos quer levar ao amor, ao puro amor, bem certa de que dessa fonte riquíssima brotam a perfeição e as virtudes mais heroicas. Nosso Senhor não precisa de nossos atos brilhantes, nem de nossas obras. Ele só quer o amor de nossos corações. Por isso dizia São João da Cruz:

“O mais leve movimento de uma alma animada de puro amor é mais proveitoso à Igreja do que todas as demais obras reunidas”

Como isto consola as almas fracas e pequeninas! Quem pode amar pode tudo. Ou nas lutas do Apostolado, pregando, ensinando, catequizando em missões, ou na obscuridade e no silêncio do mosteiro, sempre se pode amar, e só esse amor é o que vale. Os enfermos, os pobres, os infelizes, as almazinhas pequeninas e fracas, as crianças, todos, todos podem santificar-se, porque todos podem amar e o Amor é tudo! Como isto consola e simplifica a vida espiritual!

Referências:

(1) Lettres à Marie Guerim – 1894

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 288)