Page 3 of 115

O Maior no Reino do Céu

Meditação para o Dia 15 de Novembro

1. Naquela hora chegaram-se a Jesus os seus discípulos, dizendo: Quem julgas tu que é o maior no reino do céu?“. Até os apóstolos são tentados pela ambição e pelo orgulho, vícios que todos herdamos dos primeiros pais. Não herdaste o mesmo mal? Não queres parecer mais do que és, sobressaindo sempre e querendo levar a palma em tudo? Com que direito? Pecaste menos que outros? Correspondeste melhor do que eles às graças que Deus, sem teu mérito, te deu? Não deverás prestar conta rigorosa de tudo? Continue a ler

A Oração pelos Mortos

Sacerdotes rezando pelas Almas do Purgatório no cemitério

Saudade e Oração

Meditação para o dia 14 de Novembro

Não julguemos que lembrar nossos mortos é ter apenas deles uma saudade que aos poucos vai decrescendo em intensidade, à medida que passam os anos. Chorar nossos mortos e perpetuar-lhes a lembrança no mármore, na tela, no livro é permitido, sim. Porém, não fiquemos só nisto. Juntemos à saudade a oração. Não basta chorar, precisamos orar. E nunca se precisa tanto de oração como depois da morte. No purgatório as pobres almas estão como o paralítico da piscina que dizia a Jesus:

Hominem non habeo! Senhor, eu não tenho um homem que me lance na piscina para ser curado

Dependem aquelas almas santas de nossos sufrágios, de nossas orações e sacrifícios. Deus as entregou à nossa caridade. Sempre é eficaz a nossa oração pelas almas.

“É infinitamente mais útil e eficaz a oração pela libertação dos defuntos que padecem no purgatório, que a oração pelos pecadores da terra, cuja perversidade e más disposições paralisam os esforços para os salvar. As santas almas não põem obstáculo algum à eficácia das orações que por elas fazemos”

Tal é a opinião do piedoso oratoriano Pe. Faber. Continue a ler

Jesus pagando Impostos

Meditação para o Dia 14 de Novembro

1. Chegaram-se a Pedro os que cobravam o tributo de duas dracmas e lhe disseram: Vosso Mestre não paga as duas dracmas? Respondeu: Sim“. Exigiram de Jesus o que Ele não estava obrigado a dar. Não fazes o mesmo quando pecas, seja grave, seja levemente? Exiges que Deus te conserve a liberdade de ação, o uso de teus membros e ainda que te perdoe e te satisfaça. Não é isto abusar de sua bondade?

Jesus quis pagar o que não precisava dar. Ai de ti, se Ele se limitasse a ser justo. Quanto já agradeceste à Sua misericórdia infinita? Continue a ler

A Santa Comunhão pelos Mortos

Santa Comunhão e as Almas do Purgatório

Depois da Santa Missa…

Meditação para o dia 13 de Novembro

Sim, depois da Santa Missa, não há sufrágio melhor e mais poderoso para socorrer as pobres almas que a Santa Comunhão. Escreveu São Boaventura:

“Que a caridade te leve a comungar, porque nada há tão eficaz para proporcionar descanso aos que padecem no purgatório”

É verdade que a Eucaristia como alimento espiritual é destinada aos vivos. É o cibus viatorum — alimento dos viajores, no expressivo e belo dizer da Liturgia. Tem por fim sustentar a alma na peregrinação terrena, fortificá-la na luta contra os inimigos. Como pode ser um auxílio e sufragar os mortos? Discutiram os teólogos esta questão, mas todos estão de acordo que muito mérito e muitas obras boas faz quem recebe o Corpo de Cristo e esta união íntima da alma com seu Deus a torna mais agradável e mais poderosa para interceder pelos mortos, e torna a Comunhão um dos mais poderosos e úteis sufrágios depois da Santa Missa. Dizia Tobias:

“Põe o teu pão e o teu vinho sobre a sepultura do justo”

Continue a ler

Falta de Fé

Meditação para o Dia 13 de Novembro

1. Os discípulos não conseguiram curar um aluado que o pai lhes apresentara, pelo que Jesus exclamou:

“Ó geração incrédula e perversa, até quando hei de estar convosco? Até quando vos hei de suportar?”

Não tem Jesus motivo para te dirigir, por tua falta de fé, igual censura? Maiores são as graças e os benefícios que recebestes de Deus, do que os que foram dados aos judeus; és, pois, ainda mais culpado pelo abuso. Onde o progresso espiritual que deverias registrar de confissão em confissão? Onde o aumento de fervor em tuas comunhões? Continue a ler

A Santa Missa e o Purgatório

Santa Missa e o Sufrágio pelas Almas do Purgatório

O Maior dos Sufrágios

Meditação para o dia 12 de Novembro

Incontestavelmente, não há maior nem mais poderoso e eficaz sufrágio que possamos oferecer a Deus pelos defuntos que a Santa Missa. A Igreja não definiu muita coisa sobre o purgatório, mas o essencial das suas definições está nestes dois princípios, duas verdades de fé que somos obrigados a crer se quisermos pertencer ao grêmio da Igreja de Nosso Senhor, porque, do contrário, o anátema pesará sobre os descrentes:

O Concilio de Trento define a existência do purgatório, como já vimos, e uma segunda definição: Se alguém disser que o Santo Sacrifício da Missa não deve ser oferecido pelos vivos e os mortos, pelos pecados, penas e satisfações, seja anátema (1). Eis aí o sufrágio por excelência, o verdadeiro sufrágio que podemos oferecer a Deus pelos nossos mortos, na certeza de que é sempre eficaz e poderoso. No Sacrifício do Altar se oferece a grande Vítima e o Sacrificador é o próprio Cristo Senhor Nosso. É o mesmo sacrifício do Calvário. Tem o mesmo mérito da Cruz. Donde se conclui que as almas do purgatório recebem da Santa Missa o mesmo tesouro do Sangue Preciosíssimo de Nosso Senhor derramado na cruz e pela nossa salvação. Pode haver maior sufrágio que a Missa?

Distinguem-se quatro frutos principais do Santo Sacrifício: Um fruto geral, aplicado a todos os fiéis vivos e defuntos não separados da Comunhão da Igreja; um fruto especial, aplicado aos que assistem atualmente a Santa Missa; um fruto especialíssimo aos que mandam celebrar a Santa Missa, e um fruto ministerial, que pertence ao celebrante e é inalienável. Continue a ler

Meditação para 32º Domingo do Tempo Comum

Dom Henrique Soares da Costa

Caríssimos, estamos a poucas semanas do encerramento do Ano Litúrgico – Ai! como o tempo voa, como a vida passa! E a Igreja, como Mãe cuidadosa, faz-nos meditar sobre o final dos tempos e o fim da nossa vida! Fim como término, mas, sobretudo, fim como sentido, como finalidade!

Eis!
Qual o sentido da nossa existência?
Para onde correm, velozes, os dias de nossa vida?
Que fazer, caríssimos, com o breve tempo que nos foi dado neste mundo?
Estas, as questões tão importantes; estas as perguntas definitivas, que realmente contam; questões das quais o mundo atual, atolado nas miudezas provisórias do dia-a-dia, procura fugir com tanto cuidado… Continue a ler

Refúgio só em Jesus

Meditação para o Dia 12 de Novembro

1. Ouvindo os apóstolos, na transfiguração de Jesus, a voz do Pai Eterno, “caíram de bruços e tiveram grande medo. Porém, chegou-se Jesus e lhes tocou e lhes disse: Levantai-vos e não temais”. Era natural o susto dos apóstolos, tanto pelos fatos que presenciaram, quanto pela confirmação de seu receio de ter o seu mestre de sofrer e de morrer. Não te faltarão horas de desgosto; nada, porém, terás de recear, se te refugiares em Jesus. É o vencedor sobre inferno e morte; é todo poderoso, todo clemente, todo bom. Continue a ler

O Purgatório e as Almas consagradas a Deus

Santa Francisca Romana

Santa Francisca Romana

Maior Responsabilidade

Meditação para o dia 11 de Novembro

Sim, todos os que se consagraram ao serviço de Nosso Senhor assumiram tremendas responsabilidades com a consagração ou os votos que fizeram. Receberam mais luzes e graças do que os simples fiéis. Foram privilegiados pela vocação, que os colocou num plano superior. Muitas graças e privilégios, sim, porém muitas e tremendas responsabilidades. Hão de dar contas mais severas a Nosso Senhor.

Que zelo não devem ter para conservarem a pureza de consciência e evitarem todo pecado, ainda o mais leve!

Santa Francisca Romana, cujas visões do purgatório são bem conhecidas, dizia ter visto no fundo do abismo as almas consagradas a Deus, e que padeciam no purgatório e abaixo, muito abaixo dos leigos. As penas, dizia ela, eram proporcionadas à dignidade e à posição que ocupavam na Igreja.

As visões de Santa Francisca são confirmadas por muitas outras idênticas de outros santos e almas eleitas, que sempre atestam o rigor com que a divina Justiça pune no purgatório as faltas e imperfeições dos seus eleitos. Continue a ler

Os Apóstolos na Transfiguração de Jesus

Meditação para o Dia 11 de Novembro

1. Entusiasmado pela transfiguração, São Pedro disse:

“Senhor, bom é que estejamos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, outro para Moisés e outro para Elias”

Não procedes, muitas vezes, como o apóstolo? Consolado por Deus, tudo julgas possível; na noite da tentação e do desamparo, porém, te tornas tímido como o apóstolo na Paixão de Jesus, a quem só seguiu de longe e a quem até negou. A virtude não consiste em consolações, mas na luta contra o mal e na prática constante do bem. Continue a ler

« Older posts Newer posts »

© 2017 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑