Meditação para o Dia 12 de Dezembro

1. a) Eu te saúdo, cheia de graça, o Senhor é contigo“. O anjo não falou de si, mas louvou a outrem. Reconheces, de bom grado, os méritos dos outros? Quanto a ti, fala, como o anjo, não de teus méritos, saber, virtude, etc., e sim daquilo que possa ser útil a tua alma. Deves visar em tudo a glória de Deus, o bem de tua alma e da do próximo.

b) Cheia de graça, o Senhor é contigo“. A graça é a única coisa que tem valor aos olhos de Deus. E está ela em tua alma, ou acha-se esta cheia de imperfeições e pecados?

2. a) Quando ela o ouviu, turbou-se do seu modo de falar“. Maria, ao ouvir da boca do anjo o louvor sublime de sua virtude, ofendeu-se em sua humildade. Quanta diferença entre o proceder de Maria e o teu! Tu ficas turbado quando, com maior ou menor razão, és censurado, enquanto com intimo prazer prestas toda atenção a qualquer palavra de louvor.

b) Para tranquilizar a Santíssima Virgem, outro meio não buscou o anjo do que dizer-lhe:

“Achas graça diante de Deus”

POder-se-á, por ventura, dizer o mesmo de ti? De nada te aproveita agradar aos homens, se não achares graças perante Deus.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 361)