Meditação para o Dia 01 de Setembro

1. Também na estrada ao céu há desvios e rodeios. Ai de ti, se a quiseres trilhar sem condutor que te guie e que, ao caíres, te levante. Tal condutor é o confessor. Ainda que seja indiferente quem te dê a absolvição dos pecados, uma vez que tenha poder para isso, não é indiferente como ele te guia e como tu te deixas guiar. O sacerdote não é só juiz, mas também médico e conselheiro. Quem não compreenderá quanto, como tais, diferem uns dos outros! Que importante papel, o do confessor! Com o médico é conselheiro trata-se só de interesses passageiros; com o diretor espiritual, porém, tem de se tratar de interesses eternos.

2. a) Se tiveres livre escolha do teu diretor espiritual, visa unicamente o bem de tua alma. Em todo o caso estás interessado em pedir, frequentemente, para teu confessor a luz celestial, para que ele te possa guiar bem, e a necessária energia, para que seja franco e resoluto contigo, ainda que isto se torne custoso. Das orações oferecidas pelo confessor, tu mesmo terás a maior vantagem.

b) Se queres fazer progresso verdadeiro, não te limites a acusar teus pecados, mas expõe com confiança e sinceridade todo o estado de tua alma. Se pouco progrediste, não foi talvez por falta de sinceridade? Receaste aparecer aos olhos do confessor, tal qual és?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 259)