Meditação para Dia 10 de Abril

1. Rasgadas suas carnes, o Salvador na cruz sente dilacerado também seu coração pela negra ingratidão do povo. Ainda assim não fala de si, nem se queixa, nem pensa primeiramente em sua santíssima Mãe, mas, antes de tudo, pede por seus implacáveis inimigos:

“Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem”

Que excesso de amor! Jesus reza por todos que o ofenderam ou no futuro o ofenderão e já alega, como atenuante, a ignorância. Agradece o perdão que deus te ofereceu, arrepende-te e imita Jesus em seu amor aos inimigos.

2. O Salvador está no meio de dois malfeitores. Um deles, penitente, dirige-se a Jesus, com quem está sofrendo:

“Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”

O bom ladrão não pede ser livre das dores, mas só que Jesus dele se lembre. E Jesus lho promete:

“Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso”

O bom Pastor achou a ovelha perdida, no último instante. Entretanto, um só dos ladrões se converteu. O segundo, apesar de estar na companhia de Jesus, perdeu-se. Quem dispensará todo o medo e cuidado em vista de tal sorte?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 115)