Meditação para o Dia 14 de Novembro

1. Chegaram-se a Pedro os que cobravam o tributo de duas dracmas e lhe disseram: Vosso Mestre não paga as duas dracmas? Respondeu: Sim“. Exigiram de Jesus o que Ele não estava obrigado a dar. Não fazes o mesmo quando pecas, seja grave, seja levemente? Exiges que Deus te conserve a liberdade de ação, o uso de teus membros e ainda que te perdoe e te satisfaça. Não é isto abusar de sua bondade?

Jesus quis pagar o que não precisava dar. Ai de ti, se Ele se limitasse a ser justo. Quanto já agradeceste à Sua misericórdia infinita?

2. a) Mas, para que os não escandalizemos, vai ao mar e lança o anzol; e o primeiro peixe que subir, toma-o; e abrindo-lhe a boca, acharás um stater; tira-o e dá-lho por mim e por ti“. Jesus fez até um milagre para evitar um escândalo. Quão leviano, talvez, és tu, em não evitar o que deve escandalizar teu próximo!

b) Os peixes, embora não dotados de razão, obedecem a Jesus… E tu?

O pobre Jesus nem teve duas dracmas, isto é, uns cinquenta centavos. E tu tão facilmente te queixarás de qualquer incômodo?

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 333)