Meditação para o Dia 08 de Agosto

1. Para poderes amar ao próximo assim como Deus o quer, isto é, como Jesus amou a nós e tu te amas a ti, precisas dum motivo bastante poderoso. Este não pode ser outro senão o amor que Deus tem a ti e a todos. Deves ver no próximo um irmão teu, criado segundo a imagem de Deus, remido pelo sangue de Jesus, membro do corpo místico da Igreja e, como tu, herdeiro do céu. Só este motivo te pode dar verdadeiro amor ao próximo, amor que difere da filantropia e também da afeição pecaminosa, como a luz do sol difere da claridade duma vela.

2. A quem amas?

“Se vós não amais senão os que vos amam, que recompensa haveis de ter? Não fazem os publicanos o mesmo?”

Amarás só a quem é bom e amável? Então não corresponderás à vontade de Jesus. Sim, o amor admite e até exige graus diferentes. Assim, antes de tudo, deves amar a teus pais, irmãos e outros membros da família, depois teus amigos e benfeitores, etc. A todos, porém, deves amor sincero. Podes e deves odiar o vício, porém aos homens tens que amar. Assim Deus o faz, mandando nascer o mesmo sol sobre bons e maus e cair a mesma chuva benéfica sobre justos e injustos.

Voltar para o Índice de Meditações Diárias do Frei Pedro Sinzig

(Sinzig, Frei Pedro. Breves Meditações para todos os Dias do Ano. 8ª Ed. Editora Vozes, 1944, p. 235)