Circuncisão, Tesouros de Cornélio à Lápide

Que objetivo tinha a circuncisão

Este é o meu pacto que deveis observar entre vós, assim tu, como tua descendência depois de ti: Todo varão entre vós será circuncidado, disse o Senhor a Abraão: Hoc estpactum meum quod observabitis me et vos, et sêmen tuum post te: Circuncidetur ex vobis omne masculinum (Gn 17, 10).

A circuncisão era:

1.° o sinal da aliança feita entre Deus e Abraão;

2.° a prova da fé de Abraão;

3.° o sinal que distinguia os fieis dos infiéis;

4.° era, segundo ensinam os Santos Padres, o sinal da existência do pecado original e de sua expiação por Jesus Cristo; e

5.° figura do batismo e, por esta razão, dava-se um nome novo àquele que se batiza.

Em resumo, a circuncisão era pois o sinal distintivo do povo de Deus, o sinal figurativo do Messias, e também da participação na Redenção por Jesus Cristo; porque o Messias e o Evangelho foram prometidos e revelados à Abraão, primeiro circunciso; era, enfim, o sinal da circuncisão espiritual: Quaeres cur in hoc membro praeputii instituta sit a Deo circumcisio? Respondeo: 1 ° quia in hoc membro Adam primum in obedientiae suae effectum et carnis rebelionem sensit; 2° quia hoc membro generamur, et transfunditur peccatum originale, quod circumcisione curatur; 3° ut significaretur Christus redeptor, et novi foederis institutor, generandus e Abrahae semine.

No sentido alegórico, a circuncisão foi tipo do batismo e da penitência. Em sentido tropológico, foi sinal da mortificação da carne e de todos os vícios. Em sentido anagógico, a circuncisão que se fazia ao oitavo dia, representava a ressurreição que há de ter lugar na oitava idade do mundo, na qual desaparecerá a corrupção da carne e a de toda a natureza.

Se o recém nascido morria antes do oitavo dia de seu nascimento, podia se salvar como o sexo feminino, com os remédios e os ritos visíveis da lei natural a atestar a fé em Cristo que haveria de vir.

A circuncisão foi ordenada, entre outros fins, para distingui dos demais povos a posteridade de Abraão; porém, esta distinção verificava-se pelo homem e não pela mulher, pela razão que Santo Tomás oferece; por isso, dispunha-se que apenas os varões fossem circuncidados.

Por que quis Jesus Cristo ser circuncidado

Chegado o oitavo dia em que devia ser circuncidado o menino, diz São Lucas, foi-Lhe posto o nome de Jesus (Lc 2, 24).

A circuncisão era sinal do pecado, e como seu selo, porém, em Jesus Cristo não havia nenhum pecado, nem concupiscência alguma. Por isso, o Salvador humilhou-se mais profundamente em sua circuncisão que em seu nascimento. Neste recebeu a forma humana; naquela recebeu a forma de pecador. Quis ser circuncidado, e o quis por profundíssima humildade.

Segundo São Cipriano, Santo Agostinho, o venerável Beda, Santo Tomás e outros Doutores da Igreja, Jesus Cristo quis ser circuncidado por nove razões principais:

1.° pra provar a realidade da existência de sua carne contra os Maniqueus, que diziam que havia tomado corpo fantástico; contra Apolinário, que sustentava que o Filho de Deus havia tomado apenas carne, sem alma, e que o Verbo supria à carne o lugar da alma; e contra Valentino, que ensinava que Jesus Cristo havia tomado um corpo celeste;

2.° para aprovar a circuncisão que Deus havia estabelecido em outro tempo;

3.° para manifestar que era da raça de Abrãao;

4.° para tirar aos judeus o pretexto de não o receber por não achar-Se circunciso;

5.° para recomendar-nos, com seu exemplo, a virtude da obediência. Havendo Deus, como diz o Apóstolo (ad Rom. VIII, 3), enviado a seu Filho revestido de uma carne semelhante à do pecado, Jesus Cristo quis ser circuncidado para provar que não desdenhava o remédio pelo qual se curava esta carne;

6.° Ele o quis, a fim de que, recebendo Ele mesmo o peso da Lei, libertasse aos demais deste peso penoso;

7.° Ele o quis para ocultar sua Divindade ao demônio, diz São Leão. E Santo Agostinho nos dá a nona razão:

8.° Jesus Cristo, diz, quis que Lhe circuncidassem para abolir a circuncisão mesma recebeu a sombra para dar a luz; recebeu a figura para cumprir a verdade: Christus suscepit circuncisionem, ablaturus circumcisionem ipsam: suscepit umbram, daturus lucem, suscepit figuram, impleturus veritatem (De Cognit. Verae Vitae).

Enfim, a circuncisão de Jesus Cristo foi o princípio de sua paixão sangrenta, com a qual resgatou e salvou ao mundo. Eis aqui porque recebeu, então, o nome de Jesus. Jesus Cristo curou nossas enfermidades, tomando sobre Si mesmo o peso delas, satisfazendo a Deus, e merecendo curar a todo o gênero humano.

A circuncisão foi mais dolorosa para Jesus Cristo que para os demais meninos, pois tinha uso da razão, e sabia por qual motivo havia sido ordenado aquele ato.