Tag: eucaristia (Page 2 of 10)

Da Comunhão Frequente

Meditação para a Quinta Segunda-feira depois de Pentecostes. Da Comunhão Frequente

Meditação para a Quinta Segunda-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre a comunhão frequente, e veremos:

1.° Que a comunhão frequente, fervorosa, é um grande bem;

2.° Que a comunhão frequente, tíbia, é um grande mal.

— Tomaremos a resolução:

1.° De vivermos tão santamente, que possamos comungar muitas vezes;

2.° De vigiarmos sobre nós depois das nossas comunhões, para tirarmos bom proveito delas. O nosso ramalhete espiritual será as palavras de Santo Agostinho:

“Vivei de modo que mereçais comungar todos os dias” – Si vive, ut quotidie merearis accipere

Continue reading

Da Ação de Graças depois da Comunhão

Meditação para o Quarto Sábado depois de Pentecostes. Da Ação de Graças depois da Comunhão

Meditação para o Quarto Sábado depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos:

1.° A importância da Ação de Graças depois da Comunhão;

2.° O modo de a fazer.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De fazermos com a maior exatidão e perfeição a nossa Ação de Graças;

2.º De lembrarmos muitas vezes, durante o dia, da Comunhão da manhã, dos bons sentimentos, que formamos de viver mais santamente.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

Que darei eu em retribuição ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito no só benefício da Comunhão?” – Quid retribuam Domino pro omnibus quae retribuit mihi? (Sl 115, 3)

Continue reading

Disposição para a Comunhão

Meditação para a Quarta Sexta-feira depois de Pentecostes. Disposição para a Comunhão

Meditação para a Quarta Sexta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Meditaremos sobre as três disposições com que devemos comungar, a saber:

1.° Uma humildade cheia de respeito;

2.° Um amor cheio de confiança;

3.° Um grande desejo de nos unirmos a Nosso Senhor.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De formarmos em nós estas santas disposições antes da comunhão e durante ela;

2.° De as conservarmos e aperfeiçoarmos, todos os dias na nossa alma.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra de Santo Tomás:

“Coisa admirável! O Senhor dá-Se em alimento ao Seu pobre e humilde servo” – O res mirabilis! Manducat Dominum pauper servus et humilis (Ofício de Santo Tomás)

Continue reading

Preparação para a Comunhão

Meditação para a Quarta Quinta-feira depois de Pentecostes. Preparação para a Comunhão

Meditação para a Quarta Quinta-feira depois de Pentecostes

SUMARIO

Consideraremos, em um primeiro ponto, quão importante é, que nos preparemos bem para a comunhão, e no segundo ponto a maneira de nos prepararmos para ela.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos prepararmos melhor para as nossas comunhões do que o temos feito até ao presente;

2.° De nos animarmos todos os dias a ter uma vida mais santa, para poder melhor comungar.

Conservaremos como ramalhete espiritual as palavras do profeta Amós:

“Preparai-vos para sair ao encontro do vosso Deus” – Praeparare in occursum Dei tui (Am 4, 12)

Continue reading

Quão útil é à alma a suma estima de Deus

Quão útil é à alma a suma estima de Deus

Meditação para o Sábado depois da oitava do Santíssimo Sacramento

SUMARIO

Continuaremos a meditação desta manhã, e veremos, que a suma estima de Deus, de que o santo sacrifício é a expressão, é para a alma:

1.° Uma preservação do pecado;

2.º Um meio de progredir nas virtudes.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De conservarmos sempre em nós um elevado sentimento das grandezas de Deus, e com esta consideração, de fazermos cada uma das nossas ações o melhor possível para a tornar menos indigna de tão augusto Ser;

2.° De não nos descuidarmos mais das coisas pequenas que das grandes, porque importa, que se agrade a tão augusto Ser até nas mínimas coisas.

O nosso ramalhete espiritual será estas três palavras, com que São Miguel fulminou os anjos rebeldes:

“Quem é como Deus?” – Quis ut Deus?

Continue reading

A Missa, culto de suma estima tributado a Deus

Meditação para a Sexta-feira na oitava do Santíssimo Sacramento. A Missa, culto de suma estima tributado a Deus

Meditação para a Sexta-feira na oitava do Santíssimo Sacramento

SUMARIO

Como a Eucaristia é ao mesmo tempo sacrifício e sacramento, a consideraremos separadamente debaixo destes dois pontos de vista. Considerada como sacrifico, é, antes de tudo, um sacrifício latrêutico, isto é, destinado a honrar as grandezas divinas e o supremo domínio de Deus sobre toda a criatura. Para compreender a honra, que o santo sacrifício presta a Deus, veremos:

1.° Que ele é um culto de suma estima para com as grandezas divinas;

2.° Que estas grandezas são eminentemente dignas desta extrema veneração.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De assistirmos ao santo sacrifício com profunda devoção para com as grandezas de Deus, que Jesus Cristo honra tão perfeitamente;

2.° De não perdermos de vista em toda a nossa conduta e até nos nossos mais íntimos sentimentos a suma estima devida a Deus sobre todas as coisas.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Jó:

“Com efeito, Deus é grande, que sobrexcede a nossa ciência” – Ecce Deus magnus vincens scientiam nostram (Jó 36, 26)

Continue reading

Amor devido à Eucaristia

Amor devido à Eucaristia

Meditação para a Quinta-feira na oitava do Santíssimo Sacramento

SUMARIO

Meditaremos o nosso segundo dever para com a Eucaristia, que é amá-la; e consideraremos:

1.º Quanto Jesus na Eucaristia merece todo o nosso amor;

2.° Como havemos de mostrar-Lhe este amor

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De formarmos muitas vezes, até no meio das nossas ocupações, aspirações de amor para com Jesus sacramentado;

2.° De Lhe oferecermos todas as nossas ações com espírito de reconhecimento e de amor.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra da Igreja:

“Quem não amará aquele que nos ama tanto?” – Sic nos amantem quis non redamaret?

Continue reading

Respeito devido à Eucaristia

Meditação para a Quarta-feira na oitava do Santíssimo Sacramento. Respeito devido à Eucaristia

Meditação para a Quarta-feira na oitava do Santíssimo Sacramento

SUMARIO

Depois de termos visto o que é a Eucaristia para conosco, meditaremos o que devemos ser para com ela. À primeira classe desses deveres pertence o respeito. Veremos pois:

1.° Quão profundo deve ser o nosso respeito com a Eucaristia;

2.° Que grandes bens tiraremos deste profundo respeito.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos conservarmos sempre na igreja com uma profunda devoção, uma compostura decente, um semblante modesto;

2.° De nela guardarmos rigoroso silêncio, sem falar a ninguém, mas só a Deus, salvo o caso de necessidade.

O nosso ramalhete espiritual será as palavras dos livros santos:

“Que terrível é este lugar! Tremei diante do meu santuário!” – Quam terribilis est locus iste! (Gn 28, 17). Pavete ad sanctuarium menum! (Lv 26, 2)

Continue reading

A Eucaristia, Força e Consolação do Cristão

Meditação para a Terça-feira na oitava do Santíssimo Sacramento. A Eucaristia, Força e Consolação do Cristão

Meditação para a Terça-feira na oitava do Santíssimo Sacramento

SUMARIO

Consideraremos a Eucaristia:

1.º Como a força do cristão;

2.° Como sua consolação e a sua alegria.

— Tomaremos depois a resolução:

1.º De recorrermos ao Santíssimo Sacramento nas nossas tentações, nos nossos trabalhos e desalentos;

2.° De olharmos como os instantes da vida mais venturosos e mais bem empregados os momentos, que pudermos passar na presença do Santíssimo Sacramento.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Salmista:

“Quão amáveis são os vossos tabernáculos, Senhor dos exércitos! A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor” – Quam dilecta tabernacula tua, Dominum virtutum! Concupiscit et deficit anima mea in atri, Domini (Sl 83, 2)

Continue reading

A Eucaristia, Glória e Tesouro do Cristão

Meditação para a Segunda-feira na oitava do Santíssimo Sacramento. A Eucaristia, Glória e Tesouro do Cristão

Meditação para a Segunda-feira na oitava do Santíssimo Sacramento

SUMARIO

Consideraremos a Eucaristia:

1.° Como a glória do cristão;

2.° Como um tesouro.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nos afeiçoarmos cada vez mais à sagrada Eucaristia, como ao mais precioso objeto que possamos amar cá na terra;

2.º De Lhe mostrarmos este amor, visitando-A muitas vezes com grande devoção, pensando com frequência nEla até no meio das nossas ocupações.

Conservaremos como ramalhete espiritual as palavras do Apóstolo:

“Cheguemo-nos confiadamente ao trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e de achar graça para sermos socorridos em tempo oportuno” – Adeamus cum fiducia ad thronum gratiae, ut misericordiam consequamur et gratiam inveniamus in auxilio opportuno (Hb 4, 16)

Continue reading

« Older posts Newer posts »

© 2021 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑