Tag: eternidade (Page 2 of 17)

O pequeno número dos Escolhidos

Meditação para o Sábado da Septuagésima. O pequeno número dos Escolhidos

Meditação para o Sábado da Septuagésima

SUMARIO

Meditaremos sobre a última palavra do Evangelho do domingo passado: são muitos os chamados e poucos os escolhidos; e consideraremos:

1.º Porque há tão poucos escolhidos;

2.° O que devemos fazer para ser desse número.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De nunca nos deixarmos estimular pelo exemplo do grande número, mas dizermos conosco, ao contrário, como obrariam, que diriam, que pensariam os santos neste caso e de conformarmos com isto o nosso procedimento;

2.° De tomarmos a peito o negócio da nossa santificação e de o continuarmos com este sentimento no coração: Quero ser um santo.

Conservaremos como ramalhete espiritual a palavra do Evangelho:

“São muitos os chamados, e poucos os escolhidos” – Multi sunt vocati, pauci vero  electi

Continue reading

Tormento do Infinito

Meditação para o Dia 28 de Dezembro

Um ser é feliz quando tem aquilo para que foi feita a sua natureza. Ora, o homem foi criado por Deus e para Deus. Logo, o que lhe falta aqui é e será sempre… Deus. Sim, queira ou não, creia ou não creia, pense nEle ou dEle se esqueça, o homem precisa de Deus para ser feliz. E, quanto mais nobre é uma alma, mais vasto o coração e mais bela a inteligência, mais se faz sentir e atormenta essa necessidade imperiosa do Infinito, do Eterno, do Amor e da Verdade. Continue reading

A Eterna Fugitiva

Meditação para o Dia 23 de Dezembro

A felicidade na terra é a eterna fugitiva. Um relâmpago. Brilha no oriente, some no ocidente. A terra a vê e exulta, mas ela passa. Passa como a juventude, como a beleza, como o talento, como tudo que é bom. E assim vai esta vida, cheia de dores e mil angústias, entre luzes e trevas. Buscam os homens a Felicidade como quem persegue a própria sombra. E o homem, saciado de prazer e de glória, torna-se infeliz, porque chega à triste realidade das coisas, ao conhecimento experimental da incapacidade de tudo que é finito para lhe saciar o coração. Continue reading

Coração-Abismo

Meditação para o Dia 22 de Dezembro

O coração humano é abismo insondável. Nada o satisfaz na terra. A Escritura o compara às profundezas do oceano – Abyssum, et cor hominum investigavit (Ecle 42, 18). Esse coração busca a felicidade e nunca, ainda que lhe deem tudo que deseja e a que aspira, e tudo que é desejável e possível neste mundo, nunca estará satisfeito. Continue reading

Melancolia das Grandes Almas

Meditação para o Dia 21 de Dezembro

“Não há grande homem sem melancolia”, diziam os antigos. A melancolia nos grandes corações é uma aparição velada, um sentimento do Infinito, a nostalgia do Céu. O Infinito é fim supremo dos desejos do homem. Fora disto, nada pode satisfazer suas aspirações e encher o vácuo imenso que a necessidade de ser feliz cavou em nossa alma. Chateaubriand estuda com fina psicologia essa imensa e misteriosa vaga de tristeza que nos invade a alma e faz chorar por um nada, por uma flor, um olhar, uma recordação, um espetáculo da natureza. É uma paixão que não é a glória, uma paixão que não é o amor, nada de carnal ou terrestre. Algo de estranho, indefinível, que se apodera da alma e a faz chorar e perguntar a si própria:

“Que tenho? Que se passa em mim?”

Continue reading

“Videbimus!”

Meditação para o Dia 18 de Dezembro

Um religioso da Ordem de São Domingos, ao exorcizar um possesso, perguntou ao demônio em que lugar queria ele habitar. O demônio respondeu pela boca do possesso:

“Quisera estar no Céu, para gozar a visão de Deus. Eu só vi um instante a Sua Face Adorável e, para obter segunda vez esse favor e gozar ainda, um instante só, a mesma felicidade, aceitaria tudo, tudo o que sofreram todos os demônios reunidos, desde o começo e até o último dia do Juízo”

Continue reading

Vida, minha vida, por que te Perturbas?

Meditação para o Dia 17 de Dezembro

Nos dias que antecederam a vinda do Salvador, contam as tradições, o templo de Jerusalém se enchia de rumores e sinais estranhos. Um doutor da lei, testemunha desses prodígios, exclamou:

“Templo, ó Templo, que tens? Por quete perturbas?” – ‘E, falando eu de outro templo – diz Lacordaire – maior que o de Jereusalém, o templo da vida humana, digo também, com o mesmo acento melancólico: ‘Ó vida! Ó vida! por que te perturbas? Não encontrarás jamais repouso? Não te acalmas?'”

Continue reading

Sermão sobre o Amor pelos Prazeres

Sermão sobre o Amor pelos Prazeres

Sermão para o 3º Domingo da Quaresma

SUMÁRIO

Exordio. — A história do Filho pródigo é um quadro da vida humana e uma perfeita imagem das graças da penitência.

Proposição e divisão.1.° Os prazeres são mananciais de dores; 2.° As dores são mananciais de prazeres.

1.º Ponto. Como sucedeu com o pródigo, os cristãos que se entregam aos prazeres caem, pelo próprio excesso desses prazeres, num abismo de dores; e o corpo e a alma desses infelizes são vítimas de perniciosos efeitos; são como que escravos de si mesmos.

2.º Ponto. A semelhança do pródigo, podem por meio da dor, estar na posse tranquila duma perfeita alegria. As tristezas da Penitência são salutares, e são fecundas em consolações e alegrias.

Peroração. O homem desprendido dos prazeres não achará a morte inexorável, nem cruel.

Homo quidam habuit duos filios, et dixit adolescentior ex illis patri: Pater, da mihi portionem substantiœ quœ me contingit.

Um homem tinha dois filhos, e o mais novo disse um dia ao pai: Meu pai, dê-me a parte da herança que me cabe.

Continue reading

Prelúdios do Juízo Final

Meditação para a Terça-feira da 1ª Semana do Advento. Prelúdios do Juízo Final

Meditação para o Terça-feira da 1ª Semana do Advento

Sumário

Meditaremos hoje e nos dias seguintes a se­gunda vinda do Salvador para julgar o mundo no fim dos tempos, como no-lo anuncia o Evangelho do do­mingo passado. Com relação a hoje, nos limitaremos a considerar os três prelúdios do juízo, a saber:

1.° A Ressurreição geral;

2.° A Separação dos Bons e dos Maus;

3.° A Descida do Supremo Juiz precedido da Sua Cruz.

— Tomaremos depois a resolução:

1.° De conservar puros os nossos, corpos, para que ressuscitem glorio­sos;

2.° De seguir, em tudo, o exemplo dos santos, para não sermos separados deles no último dia e expulsos para entre os maus;

3.° De amar Jesus e a Sua cruz, que farão a nossa alegria nesse grande dia, se os tivermos amado durante a vida.

O nosso ramalhete espiritual será a palavra do Apóstolo:

“Todos nós deve­mos comparecer diante do tribunal de Jesus Cristo” – Omnes nos manifestari oportet ante tribunal Christi (2 Cor 5, 10)

Continue reading

Nossa Esperança

Meditação para o Dia 27 de Novembro

Há homens materializados, pagãos, sem esperança alguma além-túmulo. Julgam encontrar alívio no pensamento de uma aniquilação total da criatura humana após a morte. É a esperança pagã. A esperança dos gentios, diz Santo Ambrósio, é que a morte faça acabar todos os males. E, como tiveram uma vida estéril, assim, dizem, a morte será apenas o fim de uma carreira de sofrimentos a que estávamos presos. Quanto a nós, cristãos, mais generosos, pela esperança na recompensa, somos mais resignados, porque temos motivos de consolação. Não cremos ter perdido, mas apenas enviado um pouco antes de nós os que morreram, não como vítimas para a morte, mas como cidadãos para a Eternidade! Continue reading

« Older posts Newer posts »

© 2020 Rumo à Santidade

Theme by Anders NorenUp ↑