Quem é São Judas?

O nome de São Judas

O Grande Santo tem diversos nomes: São Mateus no Evangelho capítulo 10, 3 o chama simplesmente Tadeu e o coloca no décimo lugar entre os doze apóstolos. O mesmo nome, o mesmo lugar ocupa o Santo Apóstolo no Evangelho de São Marcos 3, 18. No Evangelho segundo São Lucas está no décimo primeiro lugar e é chamado Judas, irmão de São Tiago. No texto Grego São Judas é chamado Lebeu que segundo Cornélio a Lapide vem de duas palavras hebraica: Leb que significa cordato, bondoso ou corajoso. Tadeu, porém, segundo ainda Cornélio a Lapide, vem da palavra siríaca Thad que significa Mamman que quer dizer: Misericordioso benigno.

Podemos, pois, concluir que o Santo Apóstolo tem três nomes: Judas, Tadeu e Lebeu.

O nome de São Judas foi muitas vezes substituído pelo de Tadeu por causa do nome de Judas Iscariotes o traidor. Os próprios evangelistas como São João ao se referirem a Judas Apóstolo diziam: Judas, não o Iscariotes ou o traidor. Ora, o nome execrado do Iscariotes ficou para sempre odiado. Daí o esquecimento do culto de São Judas e o ser invocado sempre com o nome de São Tadeu. Hoje, porém, como que desejando mesmo dar a Nosso Senhor uma reparação da traição de Judas Iscariotes, a cristandade lembra o nome de Judas, discípulo querido e fiel de Jesus, parente consanguíneo do Redentor, e o fidelíssimo Apóstolo que tanto fez e padeceu por Jesus Cristo e O amou tanto neste mundo.

São Judas é o nome com que invocamos o Apóstolo que se chama também Tadeu ou Lebeu. Na verdade, a etimologia do nome segundo os intérpretes, significa o que realmente é o grande Santo: Misericordioso, Benigno, Bondoso e destemido em confessar e morrer pelo nome de Cristo.

O parentesco de São Judas com Jesus Cristo

Judas era parente consanguíneo do Divino Redentor. Pertencia à Família privilegiada da qual saiu Àquele que foi o Desejado das Nações e o Salvador do Mundo. No Evangelho vemos que diziam ao ver Jesus fazendo prodígios:

“Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago? Não se chama Maria sua Mãe e seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?”

Irmãos eram chamados os primos ou parentes. Isto encontramos muitas vezes na Escritura. Frequentemente os livros Santos chamam aos parentes de irmãos. Judas parente de Jesus, era chamado pelo Evangelista irmão de Jesus.

A glória de São Judas é sem dúvida dentre as muitas, a de ser parente e consanguíneo do Redentor do mundo. Foi um dos apóstolos escolhidos por Jesus. Depois de haver passado uma noite em oração o Divino Mestre chamou os primeiros discípulos.

“E quando chegou o dia, escreve o Evangelista São Lucas, chamou os seus discípulos, escolheu doze dentre eles e os denominou apóstolos” (Lc 6, 13) e em seguida enuncia os nomes dos doze: Simão a quem deu o sobrenome de Pedro, e André seu irmão, Tiago, João, Felipe, Bartolomeu, Mateus e Tomé e Tiago filho de Alfeu, e Simão, Zelador e Judas irmão de Tiago, e Judas Iscariotes que foi o traidor.

Notemos como o Evangelista nomeia juntos os dois discípulos com o nome de Judas e distingue São Judas, irmão de Tiago e outro que foi o Traidor.

Judas Tadeu era, pois, do número dos doze escolhidos por Jesus Cristo. Tem a glória dos apóstolos. E uma das colunas e fundamentos da Igreja.

Primo de Jesus como afirmam com toda autoridade Orígines (ln Epist. ad Rom. De Princ). Tertuliano (De cultu fem 1,4). Santo Epifânio, São Jerônimo. (in Math XIl-47).

São Judas, escolhido Apóstolo

A eleição dos doze Apóstolos nos é narrada pelos Evangelistas São Mateus capítulos 10, 2-4, São Marcos 3, 13-19 e São Lucas 6, 13-16.

Assim se lê na Concordância Evangélica:

“Aconteceu que, naquele tempo foi Jesus orar numa montanha onde passou a noite orando a Deus. Ao amanhecer, chamou a si os que lhe pareceu e eles vieram. Dentre eles escolheu doze que denominou apóstolos para envia-los a pregar e deu-lhes o poder de curar as enfermidades e de expulsar os demônios. Eis aqui o nome dos doze Apóstolos: o primeiro que é chamado Pedro e André seu irmão; Tiago de Zebedeu e João seu irmão aos quais deu o nome de Boanerges que quer dizer filho do trovão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus o publicano; Tiago filho de Alfeu, e Judas chamado também Tadeu; Simão o Cananeu chamado Zelotes, e Judas Iscariotes que foi o traidor.”

Apóstolo, quer dizer enviado, embaixador de Deus. Os Apóstolos são doze, e este é o número consagrado; São Pedro é sempre nomeado em primeiro lugar por ser o Chefe da Igreja. Se se tratasse apenas de um número de ordem caberia a primazia a Santo André que foi o primeiro escolhido ou a São João que foi o discípulo amado. O nome de Pedro em primeiro lugar dá a entender o primado no Colégio Apostólico. O nome de São Judas vem conforme os Evangelistas — São Mateus o coloca no décimo lugar; São Marcos também no décimo. São Lucas, no décimo primeiro e os Atos dos Apóstolos em último lugar no décimo primeiro, porque não nomeiam Judas o traidor.

O quadro dos Apóstolos segundo os Evangelhos, exceto o de São João que nomeia alguns discípulos, mas não traz a lista completa deles, é o seguinte:

São MateusSão MarcosSão LucasAtos dos Apóstolos
SimãoSimãoSimãoSimão
AndréTiagoAndréJoão
TiagoJoãoTiagoTiago
JoãoAndréJoãoAndré
FelipeFelipeFelipeFelipe
BartolomeuBartolomeuBartolomeuTomé
ToméMateusMateusBartolomeu
MateusToméToméMateus
Tiago de AlfeuTiago de AlfeuTiago de AlfeuTiago de Alfeu
TadeuTadeuSimão ZelotesSimão Zelotes
Simão CananeuSimão CananeuJudas TadeuJudas Tadeu
Judas IscariotesJudas IscariotesJudas Iscariotes

Aí está a lista dos Apóstolos do Senhor na ordem da escolha ou segundo a narração dos Evangelistas. Vemos figurar São Judas em todas. Há vários apóstolos com o mesmo nome. Dois Tiagos, dois Simão, dois Judas. Os Evangelistas costumam sempre os distinguir pelo nome da família: — Tiago, isto é, filho de Alfeu para não se confundir com o outro Tiago. Quando se trata, porém do Apóstolo São Judas e de Judas Iscariotes a distinção é feita cautelosamente pelos Evangelistas pela declaração:

“Judas o traidor, Judas o que foi traidor, Judas o que O entregou”.

Voltar para o Índice do livro São Judas Tadeu: sua Vida, Martírio e Culto

(BRANDÃO, Monsenhor Ascânio. São Judas Tadeu: sua Vida, Martírio e Culto. 1947, p. 15-27)