Meditação para o Dia 30 de Dezembro

Conheceis a palavra de Pascal, impressionante e profundamente verdadeira:

“Jesus Cristo estará agonizante até o fim do mundo. Não se pode dormir durante esse tempo!”?

“Dormir – comenta o Pe. Plus (1) – como pensar em tal quando o Mestre está aí suspenso, a padecer, para muitos, infelizmente em vão?”

– “Pois que – dizia Urias a Davi – o meu general Joab dorme numa tenda de campanha e eu havia de ir descansar num palácio! Não, não aceito este privilégio triste!”

À vista do Crucificado perde-se a vontade de viver sem cruz. Os santos, com o Apóstolo das Gentes, sofrem todos a sublime loucura da cruz. Sofrem, porque não sofrem ainda mais. É a sede de Amor e essa sede só se pode satisfazer, aqui no exílio, de cruz, de sofrimento, e martírios. São Felipe Néri estava à morte, esgotado, sem forças. O médico mandou-lhe que tomasse um caldo. Trazendo-lhe, começa a tomá-lo. Para de repente e exclama:

“Ah! meu Jesus! Que diferença entre nós! Fostes cravado no duro madeiro da cruz e eu descanso num leito tão cômodo! Deram-vos a beber fel e vinagre e a mim enchem-me de carinhos. Em torno de Vós havia inimigos, que vos insultavam, e junto de mim só há amigos, que se esforçam por me consolar!”

E o santo se pôs a chorar. Oh! Como Nosso Senhor Crucificado apaixona os santos! Saibamos sofrer em espírito de reparação pelos nossos pecados, e olhemos com mais fé, com mais amor, o nosso crucifixo!

Referências:

(1) Pe. Plus, S. J. A reparação por nós mesmos. – Livro II – c. 1

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 389)