Meditação para o Dia 19 de Junho

“Ora, aconteceu, quando ia chegando a Jericó, que um cego estava sentado à borda do caminho, pedindo esmola; e, ouvindo o tropel da gente que passava perguntou que era aquilo. Disseram-lhe, porém, que era Jesus Nazareno que passava. Exclamou logo, dizendo: Jesus filho de Davi, tem piedade de mim! E os que iam adiante repreendiam-no para que se calasse, mas ele cada vez gritava mais: Filho de Davi, tem piedade de mim! Então Jesus, parando, mandou que Lho trouxessem e, quando se aproximou perguntou-lhe, dizendo: Que queres que te faça? Ele, porém, respondeu: Senhor, que eu veja! E Jesus lhe disse: “Vê! Tua fé te salvou.”

Ouvindo o tropel da gente que passava, pergunta o cego o que era. Disseram-lhe que passava Jesus de Nazaré. Não se pôde conter. Encheu-se-lhe o coração de confiança e ele logo exclamou:

“Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”

E o repreenderam para que se calasse. Mas, diz o evangelista, ele gritava mais:

“Filho de Davi, tem piedade de mim!”

Que confiança! Quando, nas trevas da cegueira de tantos pecados e tentações, queremos recorrer a Jesus que passa e implorar a sua Divina Misericórdia, somos repreendidos e o demônio do desespero e da desconfiança no-lo quer impedir, ah! Como o cego de Jericó, gritemos ainda mais alto:

“Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”

E Ele dirá:

“Que queres que te faça, meu filho?”

“Que eu veja meu Jesus, que eu veja o Vosso Amor, a Vossa misericórdia!”

E Ele dirá:

“Vê! Tua fé te salvou”

E veremos a Jesus como Ele é realmente: doce e cheio de misericórdia!

Referências:
(1) São Lucas 18,35-43; São marcos 10,46-52

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 186)