Meditação para o Dia 24 de Novembro

São João da Cruz foi uma imagem viva de Jesus Crucificado. A Igreja o proclama “exímio amante da cruz”. Sofria ele um contínuo martírio. No corpo, longas e dolorosas enfermidades. No coração, golpes de desprezo e ingratidões de amigos e beneficiados seus. Quantas calúnias, insultos e desprezos não suportou em toda a vida! E, corajoso, alegre, por se assemelhar ao Divino Mestre Crucificado!

Ouvi estas palavras de tão grande mestre:

“Desejais gozar neste mundo. Se soubésseis como é glorioso para Deus e útil para vós sofrer; nunca havíeis de procurar em parte alguma o gozo, as alegrias desta vida. Ao invés, olharíeis a cruz que Deus vos põe aos ombros como de todas as graças a maior”

O grande amante da cruz vivia todo absorvido na contemplação do mistério do Calvário. Nosso Senhor, aparecendo-lhe, pergunta o que deseja como recompensa pelo muito que fizera para as almas e para a glória de Deus:

“Senhor – responde o santo – só quero, como recompensa, sofrer e ser desprezado por Vós!”

Que heroísmo! Sublime resposta! Oh! São João da Cruz, não temos o vosso amor à cruz, mas alcançai-nos, ao menos, a conformidade à vontade de Deus nas tribulações da vida!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 351)