Meditação para o Dia 20 de Maio

Quando sentimos o coração imerso num oceano de amarguras, cruentamente ferido pela saudade de um ente desaparecido, precisamos contemplar Nossa Senhora ao pé da cruz. É junto Dela, a consoladora dos aflitos, que encontraremos consolação.

Uma senhora piedosa teve a desventura de perder um filho em pleno viço da mocidade. Era filho único, o raio de sol de sua existência. A pobre mãe ficou inconsolável. Quase em desespero, chorava desoladamente e definhava de amargura e cruéis saudades. Um artista genial, reproduzindo numa tela as feições do saudoso e chorado filho, e pintando noutra Nossa Senhora da Piedade, com Jesus nos braços, lívido, ensanguentado, morto, escreveu o seguinte sob a última:

“Ela perdeu mais do que vós!”

A vista do retrato do filho exacerbou naturalmente a dor da inconsolável mãe, mas, contemplando atentamente o outro quadro e meditando as palavras nele escritas, murmurou:

“Sim, Ela perdeu mais do que eu”

E não se desesperou! Ergueu-se, cheia de coragem, enxugou as lágrimas e ofereceu a Nossa Senhora toda a imensa dor que a acabrunhava.

Mães acabrunhadas de saudades, quando tiverdes o coração partido de dor pela morte de um filho querido, contemplai Nossa Senhora das Dores ao pé da cruz. Ela perdeu mais do que vós e não se desesperou!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 155)