Meditação para o Dia 17 de Junho

“Qual de vós o homem que tendo cem ovelhas, se perder uma delas, porventura não deixa as noventa e nove no deserto e não vai em busca da que tinha perdido até que a encontre? E quando a tiver encontrado a põe sobre os ombros, cheio de gosto, e, vindo para casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: congratulai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se tinha perdido?” (1)

Quanto faz o bom pastor pela ovelha perdida! Sai a procurá-la, deixando noventa e nove no deserto. Quando sentirdes, almas santas e amorosas, o coração num deserto de aridez cruciante, não vos perturbeis. Jesus, o Bom Pastor, saiu à procura das ovelhinhas perdidas, os pecadores, e vos deixou no deserto. Regozijai-vos com isso e sofrei com paciência a vossa provação pelo bem dos pecadores. Depois o Bom Pastor encontra a sua ovelhinha. Não a maltrata porque fugiu do rebanho. Alegra-se porque a achou e a põe sobre os ombros, cheio de gosto, di-lo o Evangelho. Que misericórdia! Quando o pecador se converte, sente uma doçura inexprimível, chora de felicidade, experimenta uma paz suave e confortadora. É o delicioso repouso nos ombros do Bom Pastor. Não é assim, pecador arrependido, não é assim que Nosso Senhor vos trata? Que festa no Céu quando Jesus convoca os santos e anjos, seus amigos e vizinhos, e lhes diz:

“Congratulai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que tinha perdido, o meu pecador querido, aquela pobre alma que salvei da condenação eterna!”

Jesus, Bom Pastor, meu coração não pode mais resistir às ternuras do Vosso Amor misericordioso!…

Referências:
(1) São Lucas 10,25-37

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 184)